Passeios com o recém-nascido – Um alerta aos pais!

junho 30, 2017

Assim que o bebê nasce, a maior vontade dos pais é mostrá-lo para todo mundo e agregar isso à um bom passeio é melhor ainda, certo? Porém, alguns cuidados devem ser tomados, afinal o bebezinho ainda é muito frágil e não está protegido contra várias doenças, que podem ter consequências sérias.

Mas quanto tempo esperar até que eu possa sair e passear com um recém-nascido?
Não existe uma recomendação exata sobre o momento em que é permitido sair de casa com um recém-nascido. Porém, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) o ideal é que os recém-nascidos se ausentem de casa apenas nas necessidades: consulta médica, vacinação, realização de testes de triagem neonatal (ou mais conhecido como Teste do Pezinho). Ir ao shopping ou a festinhas de crianças não é recomendado pelo risco de contrair alguma doença e isso ocorre pelo fato de serem locais fechados, sem ventilação adequada e com um grande aglomerado de pessoas. O mais recomendado é ficar em casa, se possível, até o final do segundo mês de vida, momento em que o bebê já se adaptou a amamentação e recebeu as primeiras vacinas para sua proteção imunológica.

Caso você precise sair de casa e levar o seu bebê, lembre-se de que o ideal é que sejam passeios breves, em locais tranquilos, arejados e com pouca gente, preferencialmente ao ar livre. Evite que as pessoas toquem no rosto do bebê; não permita beijinhos de estranhos (podemos não saber quem está doente ou não) ou que o peguem no colo se estiver dormindo. Os recém-nascidos precisam de muitas horas de sono e não devem ser incomodados quando estiverem descansando, isso pode lhes causar um estresse desnecessário. Os bebês muito novinhos não devem sair de casa com mais frequência do que o necessário!

Os banhos de sol podem ser feitos no quintal de casa, ou na área aberta do prédio (em um momento com pouca circulação de pessoas)e no período da manhã.

Noivado, o preparo para a mudança!

junho 26, 2017

Casamento é uma arte! A arte de construir juntos uma vida só a dois.
E o noivado, essa fase que parece ser a preparação da festa do casamento, é na verdade o amadurecimento do namoro para o compromisso “casamento”. A festa dura algumas horas, o casamento dura a vida toda… ou pelo menos esse é o desejo que temos ao casar, certo?
A Dra. Maira C. Baptistussi, cedeu ao Enlaçados um pouquinho da visão da psicologia analítico-comportamental sobre o noivado.
Confira:

12 Dicas para não errar quando for visitar um recém nascido!

junho 23, 2017

Ninguém resiste à notícia de um nascimento, seja de uma amiga, irmã, cunhada, ou apenas conhecida… Mas, como saber quando é a hora certa de visitar? E como devo me comportar? Neste post vamos trazer algumas dicas para ajudar nesse momento, que deve ser apenas de alegria!!

A primeira coisa que devemos ter na hora de visitar uma família que acabou de ter um bebê é Bom Senso – isso mesmo, bom senso nunca é demais. Nós -não grávidas – estamos felizes e excitadas com a chegada de um bebê, mas às vezes esquecemos que o casal precisa de um pouco de espaço para se adaptar a nova rotina.

Então nós recomendamos não ir logo na primeira semana. A gente sabe que a ansiedade é grande e você pode até deixar um recadinho no celular de parabéns, mas respeite o tempo deles. Se coloque a disposição e ajude caso sejam solicitados, mas você pode esperar um pouco para visitá-los. Isso não pega mal, pelo contrário, os novos pais vão aprovar.

Aqui vai algumas dicas legais para vocês não errarem na visita ao recém-nascido!

1. Ligue antes de uma visita, sempre. Surpresas não são muito bem vindas nas primeiras semanas com um recém nascido. Combine o melhor horário para a família, pois pode ser a hora da soneca, da mãe e do bebê, afinal no começo o bebê não tem muitos horários definidos para isso.

2. Essa visita não deve demorar mais do que 30/45 minutos, o suficiente para saber como a mamãe e o novo bebê estão passando e se precisam de algo.

3. Leve algo para o bebê, mas que tal levar algo para o casal também? Tenho certeza que eles vão apreciar esse gesto. Uma boa opção é fazer a visita e levar uma comida pronta, para oferecer aos pais, que nem sempre têm tempo de cozinhar. Mas lembre-se de saber o gosto dos anfitriões!

4. Evite combinar visitas nos horários de refeição, afinal quando nasce um bebê, a rotina da família se altera de tal forma que fazer uma refeição completa representa quase um milagre.

5. Não vá se estiver doente! Como o bebê acaba de chegar ao mundo, ainda não tem o sistema imunológico completamente desenvolvido, nem tomou todas as vacinas. Por isso, ele fica mais suscetível a ação de vírus e bactérias. Melhor se recuperar totalmente antes de conhecer o recém-nascido.

6. A maior parte das mães de recém-nascidos deixa bem aparente para as visitas um frasco de álcool-gel. Não é frescura, nem exagero. Se elas disponibilizam o produto, é porque querem que você use, principalmente antes de pegar o bebê. Não custa, né? Mesmo que elas não tenham um pote para oferecer, lembre-se de lavar sempre as mãos, para proteger o bebê.

7. Apesar de lavar as mãos ou passar o álcool-gel, nossa mão é cheia sujeira, por isso, evite pegar nos dedinhos do pequeno e também não o beije. Pegar no colo, só se a mãe oferecer.

8. Nada de perfumes ou fumar antes da visita…. Devemos sempre lembrar que estamos indo visitar um bebê e seu olfato é muito sensível aos novos cheiros. Sem falar na possibilidade de ele ter uma série de alergias ou restrições, que ainda não foram percebidas.

9. Até agora para todas as visitas a mãe contou sobre as dores do parto, a internação e o nascimento do filho, mas quando você chegar que tal dizer para ela que você ficará com o bebê e que ela pode ir tomar um banho e levar o tempo que precisar, pois você está a postos se o bebê precisar?! Ela vai amar, afinal alguém pensou nela.

10. Se você for bem próxima a família, por exemplo, se ofereça para fazer pequenas tarefas como “tirar o lixo”, repor a dispensa com frutas novas e frescas, por gasolina no carro dela ou outra tarefa menor. Os pais gostariam desse agrado, pois eles ainda estão se adaptando a uma nova rotina e pode ter pequenas tarefas acumuladas.

11. Se ao chegar na casa e a mamãe estiver amamentando, deixe ela sozinha com o bebê, nada de invadir esse momento especial…. Esse momento é dos 2.

12. Não tire fotos, se a mãe não permitir…A gente entende que aquele rostinho é muito fofo, assim como a mãozinha, a roupinha e os cabelinhos e que, por isso, a vontade de fazer uma foto e postar nas redes sociais, para compartilhar com o mundo, é quase incontrolável. Mas segure-se! Só tire fotos e publique na internet se os pais permitirem. Ainda assim, evite o uso de flashes, que podem incomodar o bebê.

Esperamos que essas dicas ajudem na sua primeira visita à um recém-nascido!!!

 

Trabalhar em Casa! Estilo, Conforto e Elegância!

junho 19, 2017

Dicas para um Home Office Produtivo e decorado

Atualmente está cada vez mais comum as pessoas trocarem os escritórios para executarem os trabalhos  em casa, este espaço para trabalho em casa é denominado “home office”. Com a tendência dos espaços residências cada vez menores é preciso adaptar o ambiente doméstico para esta modalidade de trabalho.

Trabalhar em casa exige bastante concentração e disciplina para cumprir as atividades e não se deixar distrair com coisas da casa, por isto vamos apresentar várias ideias de decoração de home offices de vários estilos e tamanhos para você se inspirar.

 

 

Dicas de Vestido de Noiva!

junho 14, 2017


Entendam como um ateliê de alta costura pode te ajudar, orientar e inspirar mais ainda seus anseios pelo momento do SIM.
O vestido de noiva é algo que pensamos com muito carinho desde que decidimos casar, certo?
Poder desenhar esse sonho com um profissional capacitado, te auxiliando e dividindo com você essa confecção de amor foi sem dúvidas a melhor experiencia da minha vida!
Ah, e muitas vezes fica o mesmo valor, ou mais barato do que alugar aquele vestido que já usaram, e que não foi você quem ajudou a desenhar!!!

Entada isso assistindo ao vídeo:

O quarto trimestre da gestação e a exterogestação.

junho 9, 2017

A exterogestação compreende os primeiros 9 meses da vida extra-uterina do bebê, tempo geralmente suficiente para aprender a engatinhar, começar a se alimentar e dessa forma, sair de situações de risco quando está “longe” de sua mãe.

A gestação leva 9 meses, mas o bebê não está efetivamente pronto, pois se compararmos aos outros mamíferos ele é imaturo e depende muito mais dos cuidados de um adulto. O recém-nascido não consegue se levantar, coordenar os movimentos, se aquecer, se virar… A espécie humana – mamífera e bípede –  continua se desenvolvendo fora do útero, diferente dos demais animais, que já nascem andando. O cérebro se desenvolve e cresce tanto depois do nascimento, que o parto vaginal seria inviável (caso a gestação durasse mais tempo) e por isso, mesmo a gestação sendo completa o desenvolvimento continua acontecendo.

Ao final da exterogestação, o cérebro desenvolveu 50% e até 2 anos 80%, ou seja, estimular o bebê, dar atenção, amor e alimentação adequada nesse período faz toda a diferença.

O quarto trimestre

O pediatra Harvey Karp, autor do livro “O Bebê Mais Feliz do Pedaço. Por quê?” diz que devemos pensar nos três primeiros meses de vida do bebê como o quarto trimestre da gestação. Logo, reproduzir o que ele ouvia e via, os cheiros, sabores, texturas e temperaturas que sentia dentro do útero podem ajudar a acalmá-lo e a se sentir são e salvo – assim, ele vai chorar menos e dormir melhor. Para ele, o DESEJO de acalmar o bebê é instintivo, mas COMO fazê-lo não é, pois acalmar o bebê é uma habilidade que deve ser desenvolvida e aprimorada.

O quarto trimestre é a continuação da gestação e esses três primeiros meses de vida extra-uterina acabam sendo o tempo necessário para a adaptação do bebê no mundo aqui fora.

O silêncio absoluto incomoda, pois ele estava acostumado com os batimentos cardíacos, líquido e fluxo sanguíneo.

A luz excessiva também incomoda, pois ele estava sempre protegido de grandes variações de luminosidade.

O vazio ao redor, frio, movimentos irrestritos, também, pois ele estava acostumado a ficar contido em um espaço, seguro e sem grandes interferências.

Qualquer coisa assusta. O bebê recém-nascido precisa de colo, precisa ser acalentado, ouvir batimentos cardíacos, precisa de peito e calor humano para que se acalme. Você deve reproduzir as condições em que ele vivia dentro do útero para que ele se sinta seguro.

Acalme-o pelo tato

O berço do seu filho parece um galpão comparado com a confortável ambiente do qual ele acaba de ser expulso. Como as coisas eram apertadinhas no útero, o bebê estava acostumado ao estímulo tátil permanente. Alguns especialistas dizem que a transição do útero para o mundo fica mais fácil se o bebê é lembrado desse embrulho.

  • Faça o famoso pacotinho, ou charutinho. Com isso trazemos a sensação da limitação, assim como acontecia no útero.
  • Uma maneira de recriar a sensação física que o bebê tinha no útero é tirar a blusa e segurá-lo de encontro ao peito, contato pele a pele.  O pai também pode tirar a camisa e experimentar esse contato!
  • Massageie seu bebê, suavemente, por cerca de 10 minutos diariamente. Ele vai dormir melhor. A Shantala é uma ótima opção!

Acalme-o pelo olfato

Estudos vêm mostrando que o feto tem noção de odores, pois toda criança consegue reconhecer sua mãe pelo cheiro imediatamente após nascer.

  • O seu cheiro não só é reconhecível – é o melhor calmante que existe. Emprestar seu cheirinho a objetos que ficam perto de seu filho é uma boa maneira de acalmá-lo.
  • Não abuse de perfumes. Cheiros muito fortes, que não chegavam até o bebê pelo líquido amniótico – como o aroma de produtos de casa, banho e higiene – podem irritar o olfato de um recém-nascido. É bom dar um descanso para seu perfume também, mesmo que você tenha usado durante a gravidez.

Acalme-o pela audição

Se você anda na ponta dos pés desde que saiu da maternidade, pode parar. Não é o silêncio que vai acalmar seu bebê. Como já dissemos anteriormente, a falta de barulho é algo estranho para ele. O primeiro sentido que um embrião desenvolve é a audição, por volta de nove semanas. Na barriga, o bebê ouvia os sons do corpo da mãe. Além disso, todo barulho de fora acaba fazendo parte da sinfonia que rola dentro do útero.

  • O jeito mais fácil de você reproduzir a “música ambiente” do útero é fazer o clássico “shhh”. E pode fazer bem alto: “O barulho que o bebê escuta dentro do útero é mais forte que o de um aspirador”, de acordo com o dr. Karp. Tente chegar perto do volume do choro do bebê.
  • Converse com seu bebê. Seu bebê ouvia a sua voz antes de nascer. Falar com seu filho vai acalmá-lo. Também leia em voz alta. Recém-nascidos podem reconhecer uma história que você contou muitas vezes durante a gravidez. Neste caso, fale devagar e baixinho.  Coloque sons que você estava habituada a ouvir durante a gravidez, como música, por exemplo.

Acalme-o pela visão

A visão começa a se desenvolver por volta de 26 semanas de gravidez. Com poucos dias de vida, o bebê distingue entre a imagem de sua mãe e a de um estranho. Ajuste a luz. No útero, seu filho conseguia perceber um pouco da luz de fora, sim. Uma luz bem suave pode acalmá-lo.

  • Mostre seu rosto. Seu rosto deixa o bebê aliviado, pois está associado com o cheiro e com a voz que ele conhece desde a barriga. Pode ser difícil olhar nos olhos de uma criança no maior berreiro, mas respire, aproxime-se e fale com voz calma.
  • Mas atenção, permita que ele tenha contato com a luz, especialmente a natural, para que ele possa diferenciar o dia da noite. O seu filho não percebe que madrugada é hora de dormir, pois na barriga, dia e noite eram a mesma coisa para ele. O Dr Karp explica que “Se você quer organizar o ritmo das sonecas do bebê, exponha-o à luz.” Para ele, a solução para corrigir bebê que fica acordadão durante a noite é dar umas voltinhas com ele durante o dia, no carrinho.

Acalme-o pelo paladar

No útero, o bebê podia experimentar os alimentos que você consumia via líquido amniótico. Depois, ao ser amamentado, o bebê pode ter preferências pelo sabor dos alimentos que passam pelo leite da mãe.

  • Vá com calma. Dê mais um tempo para voltar a consumir aquele roquefort proibido pelo médico durante a gravidez. Alimentos muito diferentes causam estranhamento para o seu pequeno.
  • Coma bem. Mantenha a dieta que fazia durante a gravidez. “Tem gente que diz para evitar alho enquanto se amamenta, mas alguns bebês até preferem, pois é com o que estão acostumados”, diz o dr. Karp.

Agora é só colocar essas dicas em prática e aproveitar um bebê calminho, calminho!!

 

Flores, para encantar no dia dos namorados!

junho 8, 2017

O Dia dos Namorados é uma data simbólica onde comemora-se o amor, a paixão, os bons  momentos vividos  ao lado da pessoa que se ama.

É dia de celebrar e renovar votos, e até quem sabe começar novos propósitos, é dia de pedir o amado (a) em casamento, mesmo que vocês já sejam casados.

E para selar este momento tão importante, nada melhor do que flores marcantes e com personalidade, bouquets exclusivos com design floral inovador, desenvolvidos por quem entende e ama flores.

Nossos bouquets e arranjos florais são únicos assim como a pessoa amada.

Encomende o seu pelo telefone: 16- 98100-0717

15 QUARTOS DE CASAL PARA SE APAIXONAR!

maio 24, 2017

Quando a gente escolhe dividir o quarto com outra pessoa, a primeira coisa que vem a mente é o conforto antes de qualquer coisa, depois a estética e a beleza.

Mas a estética está intimamente ligada ao conforto, você pode usar a decoração a seu favor para se chegar ao conforto desejado, seja na escolha das cores ( já falamos de como as cores podem te influenciar AQUI), seja na escolha dos materiais de acabamento, por exemplo, na escolha de uma cabeceira almofadada para sua cama e/ou  também na escolha de um piso de madeira ( pois tem o toque mais “quente” que o porcelanato).

O que queremos te mostrar é que com poucas mudanças você pode dar mais personalidade na decor do seu quarto, utilizando almofadas, mantas, luminárias , quadros e etc…

Hoje vamos mostrar 15 inspirações de quartos de casal para te inspirar, tem quarto estilo clássico, quarto estilo industrial, quarto clean, quarto mais despojado, tem de vários estilos, cores e gostos, aposto que algum vai ganhar seu coração e te inspirar.

 

 

Make da Noiva, não erre!

maio 22, 2017

Então chegou o momento que você mais esperava: ficar linda para o seu dia de noiva. A beleza da noiva é muito mais do que apenas o cabelo e uma maquiagem. O mais importante é você estar se sentindo linda e confiante e desta maneira as pessoas vão ver em você a felicidade que você está sentindo de estar ali naquele dia.
No meu ponto de vista a beleza da noiva tem que ser de acordo com o que ela está acostumada e se sente bem, por exemplo: se você é o tipo de mulher que está acostumada a passar batom vermelho, seria interessante você passar um batom vermelho ou forte no dia do seu casamento. Mas se você é uma pessoa que não está acostumada com maquiagem muito forte, não é um bom dia pra você se arriscar a fazer tudo diferente.
Você não precisa fazer o que está todo mundo fazendo. Até porque você não vai precisar de muito pra chamar atenção, você já vai ser o centro das atenções. O profissional vai fazer a melhor indicação da tendência de acordo com o que ficar bem pra você.
Para te ajudar resolvi colocar algumas dicas de maquiagem para diferentes tons de pele.

Pele branca: Por ser muito clara, qualquer exagero é notado. Procure utilizar uma pele natural e sem muito pó bronzeador. Nos olhos os tons rosa, marrom bege, smokye eye (preto esfumado) destacam na sua pele. Blush rosa e pêssego são uma boa escolha. E para o batom, eu particularmente adoro um cor de boca não tão claro, mas qualquer tom que você escolher da certo para cor da sua pele.

Pele Parda: Para este tipo de pele os bronzers dão muito certo. Evite tons acinzentados e procure escolher tons dourados, que vão dar vivacidade e destacar na sua pele. No blush o bronze e o vermelho queimado e o coral ficam lindos. Para o batom evite os muito nude ou cores muito frias. Os tons terrosos e rosas queimados vão realçar sua beleza.

Pele Negra: Achar o tom correto da pele negra não é uma tarefa fácil, cuidado na escolha para não ficar avermelhada ou acinzentada. Muitas vezes para encontrar o tom correto temos que misturar alguns tons e produtos. Nos olhos as sombras cintilantes como prata, dourado, cobre e também sombras com brilho realçam o olhar, e as sombras escuras como verde escuro e preto esfumado ficam lindas. Para o blush: cereja, vinho e rosa forte. No batom segue a regra: se o seu olho estiver escuro opte por batons nude com gloss (da cor adequada para sua pele) e se os olhos estiverem claros e delicados, você pode optar por um batom mais forte ou metálico.

Lembrando que o objetivo da maquiagem para as noivas é realçar a sua beleza e aumentar sua confiança e auto estima!

Espero que vocês tenham gostado das dicas.
Pra quem quiser saber mais de maquiagem e cabelo me segue no canal do YouTube: Poly Mariotto e no Instagram @polymariottomakeup

Beijos
Polyana Mariotto

Sustentabilidade e Amamentação!

maio 20, 2017

Nas últimas décadas a tecnologia tem invadido a vida da população mundial. E não foi diferente com a maternidade. A sociedade influencia as famílias desde a forma como criar e educar os filhos, até na alimentação, e propagam tudo que for derivado desta tecnologia como sendo a melhor opção, e que oferecer o máximo de tecnologia e desenvolvimento disponíveis para os filhos é o que trará mais benefícios se comparado ao que é saudável e natural.

Existe sim um caminho tecnológico extremamente a favor de uma vida saudável. Mas é preciso saber onde está a linha muito tênue que define o limite do que faz bem e do que passa a fazer mal. Para saber usar da tecnologia de uma forma saudável é preciso PONDERAR. Ponderar o que ouve, o que lê, o que assiste, o que compra, o que usa… E o que faz de tudo isso que está disponível em qualquer lugar, a qualquer preço, para qualquer pessoa.

Onde tudo isso entra na Maternidade?! Há pouco tempo a sociedade acordou para uma prática que estava sendo usada de forma distorcida:  as cesáreas agendadas. Esta prática foi vista (e ainda é, por algumas pessoas) como uma prática “moderna” e “contemporânea”, e em contrapartida, o parto normal passou a ser “ultrapassado” e “inconveniente”.  E isso acontece também com o uso de leite artificial e alimentos industrializados e processados, que dizem em seus rótulos oferecer tudo que o bebê e a criança precisam. Dando a impressão de que a mãe e os alimentos naturais não são capazes de fazer. Errado! Muito errado! Essas práticas atuais derivadas de um “desenvolvimento tecnológico” além de trazer malefícios para a saúde das crianças (e na vida adulta também), como também não são práticas sustentáveis. Você já parou para pensar nos custos de produção desses alimentos e dos utensílios necessários para utilizá-los? Por exemplo, para oferecer o leite artificial: tem todo o processo de produção do leite, da lata, do rótulo, a mamadeira, o bico, as embalagens… e assim vai. E após o uso, também gera um alto custo com resíduos e descarte, degradação do meio ambiente e diminuição dos recursos naturais do planeta. Nós já conseguimos sentir algumas consequências deste “mau uso” dos recursos naturais. E você já pensou também que será NESTE PLANETA que o seu filho vai crescer e viver?!

Na Semana Mundial de Aleitamento Materno em 2016 o tema abordado foi o desenvolvimento sustentável. Já que com base nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, foram criados 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, e, apesar do aleitamento não ser um objetivo específico, é impossível pensar no cumprimento de muitos deles sem o aleitamento materno. (Leia mais em: http://www.ibfan.org.br/site/wp-content/uploads/2016/04/1-A-Semana-Mundial-do-Aleitamento-Materno-2016-traz-um-tema-amplo-e-que-vem-de-encontro-com-a-situacao-atual-do-mundo.pdf)

Sem dúvidas essas tecnologias vieram para suprir necessidades de casos específicos, de crianças em situações especiais. Mas acabaram parecendo ser sempre a melhor opção para todas as crianças. E quem não quer o melhor para o seu filho?! Apenas “parece ser”… Mas não é! Leite artificial é para aquele bebê que não pode ser amamentado no peito, que antes não tinha com o que se alimentar.

Como dizer que algo natural, sem custo algum, produzido a cada minuto, na quantidade e temperatura ideais, com tudo aquilo que o bebê precisa em cada fase do desenvolvimento, e que ainda proporciona vínculo entre mãe e bebê não é o melhor? De forma alguma amamentar é fácil. Sempre é um desafio. Apresenta obstáculos árduos que a mãe e a família precisam vencer. E às vezes não dá certo. E está tudo bem! Mas não podemos mais olhar para latas de leite como a melhor opção, nem como a primeira opção para bebês que têm a oportunidade de serem amamentados no seio materno. Esses artifícios devem ser vistos como solução quando existe um problema ou contraindicação, e não como a melhor e primeira opção.

Além das fórmulas artificiais, é preciso pensar no leite de vaca. Você sabia que o leite humano é espécie-específico? Isso significa que o leite que o humano produz é para humano, para aquele da sua espécie. Então por que oferecer leite da vaca? Deixa este leite para o bezerrinho! *rs…

As recomendações atuais é que a criança seja amamentada exclusivamente no peito até os seis meses, e após a introdução da alimentação, o leite passe a ser um complemento até os 2 anos ou mais. Porque só o leite materno é capaz de ALIMENTAR, NUTRIR, IMUNIZAR e oferecer AMOR em uma coisa só!