25ª SEMANA MUNDIAL DE AMAMENTAÇÃO

agosto 4, 2017

Estamos na 25ª semana mundial de amamentação e o tema esse ano foi sobre O TRABALHO CONJUNTO PARA O BEM COMUM.

E nós do blog enlaçados juntamente com a empresa BacyCoach não poderíamos ficar de fora dessa  e dar a nossa contribuição sobre esse tema tão lindo, o qual amamos falar!

Este mês estamos comemorando o Agosto Dourado em apoio ao aleitamento materno. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno, além disso é uma cor toda especial, que já percorre o mundo com o seu laço simbólico. São trinta dias, em que são celebrados a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento.

Há cerca de vinte anos, entre os dias 1º e 7 de agosto acontecem ações, no mundo todo, em prol da amamentação e a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) faz parte de uma história focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança.

Os objetivos desse ano é buscar o apoio dos governos e diversos setores da sociedade para PROMOVER, PROTEGER e APOIAR a amamentação; construir alianças sem conflitos de interesses para fortalecer as políticas e programas de aleitamento materno e alimentação infantil; e mobilizar e desenvolver ações para a promoção, proteção e apoio à amamentação e práticas adequadas de alimentação infantil.

O slogan da campanha esse ano é Amamentar: ninguém pode fazer por você. Todos podem fazer JUNTO com você! E a intenção é desencadear ações conjuntas em prol da amamentação, afinal juntos somos mais fortes.

Como bem sabemos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a amamentação é a principal forma de fornecer ao bebê os nutrientes necessários para sua sobrevivência e seu desenvolvimento. Nos primeiros seis meses de vida, o ideal é ocorrer o aleitamento materno exclusivo, sem a complementação com nenhum alimento e se estender até os dois anos ou mais, combinados com outros alimentos. A estimativa é que a amamentação exclusiva até os 6 meses salve pelo menos 6 milhões de crianças no mundo todo.

Além dos benefícios proporcionados pela amamentação aos bebês, o aleitamento contribui e muito para a saúde das mamães. Além da perda de peso e recuperação pós-parto mais rápida, a amamentação previne na mulher o câncer de mama, de útero e ovário, diminui os riscos de hemorragia pós parto e estreita a relação mãe-filho.

No mundo, apenas 40% das crianças são amamentadas exclusivamente, até seis meses de idade. A meta global até 2025, é que pelo menos 50% dos lactentes sejam amamentados (OMS – Organização Mundial da saúde)

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS “A amamentação dá aos bebês o melhor começo possível na vida”, além disso, “O leite materno funciona como a primeira vacina de um bebê, protegendo-o de doenças potencialmente mortais e dando-lhe todo o alimento que precisa para sobreviver e prosperar”.

Sabemos o quanto é difícil amamentar e persistir. Não é um caminho fácil a ser percorrido, por isso vamos incentivar, apoiar e ajudar aquelas mulheres que estiverem com alguma dificuldade na amamentação. E essa ajuda não é aquela palpiteira não, mas sim oferecer a ajuda necessária, demonstrando apoio, ensinando estratégias que ajudem na amamentação e levando informação de qualidade e que possa ajudá-la.

Além disso, vamos cobrar mais eficácia das políticas públicas voltadas para esse tema, com o aumento do investimento governamental, de forma que o jogo de interesses entre governo e indústrias seja deixado de lado e a saúde das crianças seja nosso objetivo maior!

#SMAM2017 #JuntosPelaAmamentação #AleitamentoMaterno #AgostoDourado #PadrãoOuro

 

 

 

 

Casamento Real

agosto 1, 2017

Casar no processo!

Érica e Silvio – 14/07/2017

Um chapéu panamá comprado em 2011. Eu havia terminado o doutorado e durante as comemorações, avistei o chapéu que ele tanto queria e já pensei que o ‘próximo passo seria o casamento’. Um vestido não branco, mas champanhe, encontrado na forma de “amor a primeira vista” e comprado em uma loja de departamento em época de ano novo – porque tá tudo branco ou quase branco nas vitrines e, assim, com um pouco de criatividade podemos encontrar um “vestido de noiva”. Isso foi entre 2013 e 2014, mesmo ano da compra das alianças. Depois de olhar muito todas as vitrines e quase desistindo, cruzei com ele pendurado em um cabide na tal loja de departamento, com outros dois iguais, e com aquelas etiquetas de preço bem à mostra, sem nenhum glamour…, mas com uma energia sutil de felicidade, maravilhosa – foi o que sempre sonhei para meu casamento: naturalidade. Éramos simplesmente eu e ele (vestido) ali, nos entendendo à primeira vista, mas no meio de várias mulheres ao redor, fazendo suas compras, nem sequer sonhando que eu, naquele momento, escolhia o meu vestido de noiva. Pelo menos pra mim. Pelo menos para a noiva despretensiosa que eu pretendia ser. Instantaneamente meu lado visual e perceptivo aguçado, próprio dos arquitetos, já contextualizou aquela forma e textura bordada em um conjunto de arranjos, acréscimo de um pouco de brilho, o buquê, o ambiente, a atmosfera e energia de um casamento. Um casamento sonhado, a princípio, para ser em uma praça com desenho circular no meio, onde eu e meu marido nos encontraríamos no centro, vindos um de cada lado. Os convidados em pé contornando o círculo. Receberíamos uma benção, estouraríamos um champanhe e brindaríamos. Era simples assim… O que sempre importou para mim no casamento, seria toda esta atmosfera de bênçãos e energia que receberíamos por estar no meio da natureza, cercados por pessoas queridas e focados um no outro.

Ainda passariam 6 anos após a compra do chapéu-panamá, 3 anos e meio após a compra do vestido e 3 anos após a compra das alianças, que passou a ser um objeto de enfeite na estante de livros; recusei-me a guardá-las no fundo do armário, como estavam o vestido e o chapéu. Era um objeto nosso, então deveria ficar em um local onde nós poderíamos ver. Confesso que durante este tempo houve muito desânimo e frustração com relação à possibilidade de realizar o ritual do casamento. Vez ou outra eu olhava para o vestido e … baixava o olhar… Vez ou outra eu abria a caixa das alianças e voltava para o mesmo lugar. Já estávamos casados na vida cotidiana, mas o momento de tomarmos a decisão de realizar nossa cerimônia parecia não chegar. Até chegar aquele ponto em que você se entrega e para de pensar ou falar… deixa acontecer por si… Mas não percebemos que a essência e energia está toda no ar, ainda que quieta, já estava em construção, esperando o momento. E é quando acontece!!  Parece uma fórmula da natureza: pare de forçar que acontece! Alguns elementos de desejo foram movidos, a ideia e intenção comunicada para a natureza, é só deixar agir. Chega o momento que ela age.

Julho de 2017 seria a data que completaríamos 10 anos juntos. Muitas outras questões emocionais, práticas e financeiras já estavam sendo resolvidas há algum tempo, e então, finalmente era chegado o momento de concretizarmos nosso casamento!!! Com tanta programação sutil ao longo dos anos, não foi tão difícil concretizar o civil e a cerimônia em pouco mais que dois meses.

Eu mal imaginava o quanto o processo de organização do nosso casamento seria tão edificante para mim como pessoa e para nós enquanto casal.

Quando a vida e nossa energia decidem que “sim”, não há nada que possa agir no “não”. Começava a corrida para realizar o dia que seria um dia perfeito para nós. Mas, antes, muitas coisas aconteceriam, e coisas maravilhosas. A praça foi substituída e adaptada para um lugar com árvores, sol, natureza. Onde encontrar isso em Ribeirão, um lugar pequeno, dentro do nosso orçamento e perfil de cerimônia. Uma amiga indicou o restaurante Matuto. Visitamos dois outros lugares antes, mas quando pisamos no Matuto, foi um amor à primeira vista tão forte para os dois, que foi difícil ir embora da visita. Pronto, estava decidido. Aquele era o lugar. Gramado impecável, jeito caseiro, parecido com nossas raízes simples, piso vermelhão (que amo!), árvores, sombra, samambaias e um toque de organização e requinte que também prezamos. Não tínhamos dúvida de que a comida era deliciosa, pelas boas referências. E a empatia e simpatia da Chefe, agregou ainda mais nosso sentimento de “estarmos à vontade para casar no local”. Do contato com as pessoas tão receptivas do Matuto, foi indicada uma cerimonialista: eu jamais havia pensado em uma cerimonialista, mas começava a se delinear a necessidade de uma, se quiséssemos algo bem feito.

Cada dia mais percebo que a energia que carregamos é a que atraímos. Isso parece meio clichê, mas quando entramos em uma sintonia onde tudo flui, coisas maravilhosas podem acontecer. Todos os contatos foram uma sucessão de facilidades, coincidências, energia positivas e empatias que foram construindo dentro de mim um fortalecimento incrível, enquanto pessoa e para nós dois enquanto casal. Fomos casando aos poucos, a cada contato, conversa em casa e nos encontros. Nossos votos foram feitos no decorrer de todo esse processo, em casa, com amigos, começamos a nos redescobrir nesta nova maneira, e fomos nos casando com outros “nós mesmos” também. A cada contato com as pessoas, uma celebração à nossa união. A cada tarefa a cumprir, buscar pessoas e soluções para nosso evento, um desafio pessoal a vencer. Organizar cada detalhe do casamento foi um desafio pessoal magnífico que fui superando a cada passo. Dirigir mais, negociar, orçar, pintar aquarela, criar os convites, tags, cardápio e folhetos de poemas, fechar os convites com selo de cera em um ritual delicioso e difícil ao mesmo tempo, costurar com a ajuda de minha mãe, escolher músicas até de madrugada, chorar sem saber por que, não dormir direito, mas estar inteira e pronta pra fazer tudo no dia seguinte… e assim, com uma boa vontade imensa, apesar do cansaço, fui e fomos encontrando as pessoas certas, de maneira fluida.

Ter indicação de uma cerimonialista maravilhosa (Sandra Olivério), que foi empatia à primeira vista, pessoa inesquecível que soube entender todos os nossos limites e “times”, valorizar nossa simplicidade e bom gosto ao mesmo tempo.

Bater um papo maravilhoso com uma fotógrafa amante do simples, do descontraído e dos animais, como a Sté Frateschi. Rimos e choramos juntas no primeiro encontro, falando de nossos anjos de quatro patas. Pronto, resolvido, era ela! Nos acompanhou com felicidade nos vários momentos: civil, making off, casamento e pós-casamento na praça com nossas filhas pet.

Encontrar nos últimos dias, a mesma energia com a Jessica (Panorâmica filmes), que prontamente e delicadamente se entusiasmaram com o formato do nosso casamento. Café, brigadeiro, risadas, emoções, empatias… mais uma energia decidida. Eu estava vivenciando e valorizando cada um destes momentos.

Entre flores, arranjos, maquiagem, cabelo e bolo, aluguel de móveis, peças… a repaginação do acabamento do meu vestido, foi um processo enriquecedor. Lutar contra o uso de um véu, pois não me encontrava em nenhum e, “de repente”, assumir que o que eu queria mesmo era um véu amarrado, tipo “pirata”. Muitas das imagens da minha pasta do Pinterest tinham este véu, mas por algum motivo, eu negava a possibilidade de usá-lo (parecia não ser pra mim). No momento em que “ousei” experimentá-lo, 4 dias antes do casamento, eu parecia uma flor desabrochando, uma confiança se instalando. Eu me senti linda instantaneamente e isto foi um dos momentos mais emocionantes, uma cereja em todo o meu processo particular do casamento. Porque nos boicotamos tanto? A oportunidade estava ali… eu não teria outra, então, assumi!

Para finalizar penso que o tempo se encarrega de juntar as peças que vamos deixando marcadas; desejos expressados aqui e ali, convergindo em uma situação que acaba por surpreender a nós mesmos. Não imaginamos o tamanho da nossa obra quando no dia a dia valorizamos os pequenos atos. A somatória da conta chega, seja positiva ou negativa. Pra mim o casamento não precisava ser grandioso em números e volumes, mas as pequenas boas energias guardadas ao longo do tempo (música, chapéu, vestido, alianças…), envoltos em energia criativa, essência do bem e vontade em dividir isso com pessoas queridas era forte. Resultou em um dia maravilhoso e perfeito para nós. Com “pouco” fizemos muito. O suficiente para nos sentirmos felizes, amados, abençoados e realizados com nossa pequena grande obra, recheada de pessoas do bem, atraídas pela nossa essência. Não somos perfeitos, mas o processo nos faz melhorar. Isto tudo me faz lembrar do ditado que diz: o caminho se faz caminhando e a chegada, apenas o recomeço de uma nova caminhada.

Érica Cristina Cunha

Fornecedores:

Cerimonialista: Sandra Olivério
Local: Matuto Restaurante
Flores: Flores e Festas RP
Doces e Bem-casados: Le Bonbon Chocolate
Bolo: Izabela Junqueira
Foto: Sté Frateschi
Vídeo: Panorâmica Filmes
Móveis: Center Festas
Customização do Vestido: Célia Marquesini

DO IT YOURSELF

julho 26, 2017

Decoração suspensa com cordas

As decorações estão cada vez mais descontraídas permitindo misturas de estilos sem medo (clássico com industrial, rústico com clássico, e por aí vai…).

Os DIY (do it yourself–faça você mesmo) invadiram nossa “praia” e graças ao Pinterest, hoje temos acesso aos tutoriais mais bacanas do mundo todo, com apenas um clique de distância.

Tudo isso torna cada vez mais acessível a todos decorações e ideias que antes você teria que pagar alguém para fazer, mas que atualmente com pouco investimento, um pouco de habilidade você mesmo pode deixar sua casa incrível.

E quem gosta de colocar a mão na massa na decoração de casa vai amar o tutorial de hoje que é prateleira suspensa feita com madeira e cordas. O mais legal é que você pode aplicar esta técnica de diversas formas e nós vamos mostrar algumas inspirações para você.

Materiais: Madeira, cordas, ganchos, uma furadeira (para prender os ganchos) e tinta (caso queira pintar a madeira).

 

 

Precisamos Falar de Icterícia!

julho 21, 2017

A icterícia neonatal ou icterícia do recém-nascido é um quadro que provoca coloração amarelada na pele e nos olhos de um bebê recém-nascido.

A icterícia aparece no bebê saudável quando o sangue fica com excesso de uma substância chamada bilirrubina (hiperbilirrubinemia), que é produzida durante o processamento pelo organismo dos glóbulos vermelhos de que ele não vai precisar mais. Os recém-nascidos tendem a ter níveis de bilirrubina mais elevados porque possuem hemácias extras no corpo, e seu fígado ainda não consegue eliminar o excesso de bilirrubina.

Na maioria dos bebês, a iciterícia é um fenômeno normal e transitório. No entanto, em alguns casos, os níveis sanguíneos de bilirrubina podem elevar-se excessivamente, alcançando níveis que são tóxicos para o sistema nervoso central.

A icterícia fisiológica, que é aquela que é considerada normal e esperada, inicia-se entre o  3º e 10º dias de vida e desaparece em até 2 semanas. Nos bebês prematuros, ela pode demorar um pouco mais. Como a imensa maioria dos recém-nascidos melhora espontaneamente da icterícia, o tratamento só é indicado nos casos mais graves.

Quando a icterícia é bem leve, o médico pode indicar apenas um banho de sol de cerca de 15 minutos de manhã e à tarde, antes das 10h e depois das 16h. O banho de sol ativa a produção de vitamina D, que além de facilitar na absorção do cálcio, também ajuda a eliminar a bilirrubina em excesso no corpo.

A fototerapia é o tratamento mais utilizado para baixar os níveis mais altos de bilirrubina no sangue. O recém-nascido é colocado sob uma luz azul fluorescente que age quebrando a molécula de bilirrubina depositada na pele em pedaços, facilitando a sua excreção na urina e nas fezes. A melhora do caso pode se perceber muito rápido já que a pele que antes estava bem amarela começa a tomar tons mais normais já no segundo banho de sol, ou primeiro dia de fototerapia.

A luz ultravioleta ou a luz do sol agem na pele do bebê transformando o excesso de bilirrubina em substâncias que são mais fáceis de serem eliminadas pelo fígado.

Mais de 50% dos bebês saudáveis e absolutamente normais ficam com a pele amarelada nos primeiros dias depois de nascer. Se isso acontecer com seu bebê, não é preciso se apavorar, mas é preciso falar com o pediatra. Porém, devemos lembrar que a icterícia pode alcançar níveis mais altos e graves, se não tratada. Por isso a importância do banho de sol e consultar o pediatra para uma avaliação completa.

O que importa mesmo é o bebê tomar banho de sol independente de ter ou não sinais da icterícia neonatal aproveitando o solzinho da manhã ou da tarde!

Como você quer lembrar o seu casamento?

julho 10, 2017

Quando casei tudo foi extremamente minucioso… Escolhi cada música do cortejo com um carinho especial, queria que todas elas tivessem um significado real para nós, e quem as cantou foi uma grande amiga, que seria madrinha, inclusive. Ou seja, tudo ali tinha grande valor.
Da mesma forma os convidados todos eram pessoas muito próximas, foi um mini wedding. A decoração foi ousada e a mesa do bolo desconstruída… Tudo muito pessoal, particular e único!!!

Acredito que assim como o meu casamento, o seu também tem um valor todo especial e ímpar!

Acontece que eu simplesmente não ouvi minha amiga cantando no cortejo, quando eu entrei para a cerimônia não conseguia distinguir aqueles rostos me encarando com carinho e felicidade, e no dia seguinte eu não me lembrava de ter reparado na decoração, não me lembrava das horas longas de festa… parecia que tudo tinha durado poucos e intensos minutos!

Conversando com várias noivinhas do Enlaçados, descobri que isso não aconteceu apenas comigo. São muitas emoções para lidar, e acontecem muitas coisas em pouco tempo. Mesmo que você lembre de tudo que aconteceu, você não vai ver tudo que estiver acontecendo ali, é muita gente, muitas ações simultâneas… e acredite, você vai ficar feliz em ver como todos estavam festejando por você!

Ainda ontem me deu saudade do meu casamento e resolvi assistir o vídeo, foi muito gostoso reviver esse dia especial.

Você tem que saber que o vídeo do seu casamento é a única oportunidade de você ouvir aquele “SIM” novamente, é a única forma de reviver as emoções da cerimônia com seus gestos delicados e respirações profundas afim de conter o choro, de rir de novo com as graças da festa, da alegria da família e amigos pulando com vocês para comemorar, dançar, brindar!!!

O vídeo é o que fica! E o que fica tem que ficar com a essência de vocês, tem que ter a alma daquele dia contida nas imagens. Não deixe a importância do vídeo nas mãos de um amador… Tudo o que você escolheu, toda a diversão e emoção do dia mais importante da sua vida se resumirão nos vídeos!

Existem vários tipos de vídeos que as empresas podem te oferecer.
Os mais completos para você assistir com a família e padrinhos, os curtinhos que vão para a internet e são sempre um sucesso, (como esses que vamos mostrar aqui), tem os que vão para instagram, e tem empresas que te oferecem todo o material que foi captado, mesmo aquelas imagens que não entraram na edição. Se possível, pegue esse material todo!!! Um dia você vai querer ver cada detalhe, com saudade, carinho e gratidão!

 

 

 

 

Arte com Linhas!!!

julho 6, 2017

String art

Vamos mostrar hoje uma daquelas técnicas DIY ( doi it yourself ) que faz os dedos coçarem de vontade de sair logo correndo para fazer, pois é fácil, barato e tem um resultado muito bacana, além de multifuncional, você pode adaptar e usar na parede, em um quadro, em um pedaço de madeira… basta usar sua imaginação.

String Art ou Arte com Linhas: “técnica de origem europeia, que utiliza madeira, pregos e linhas coloridas para formar figuras geométricas ou desenhos diversos, de maneira singular, tridimensional, com sobreposição de camadas.”

 Inspire-se nas imagens que vamos mostrar e coloque a mão na massa, uma dica é aproveitar as férias escolares dos filhos, sobrinhos e etc e pedir para eles te ajudarem, as crianças vão adorar.

AQUI você encontra vários templates para imprimir.

 

Passeios com o recém-nascido – Um alerta aos pais!

junho 30, 2017

Assim que o bebê nasce, a maior vontade dos pais é mostrá-lo para todo mundo e agregar isso à um bom passeio é melhor ainda, certo? Porém, alguns cuidados devem ser tomados, afinal o bebezinho ainda é muito frágil e não está protegido contra várias doenças, que podem ter consequências sérias.

Mas quanto tempo esperar até que eu possa sair e passear com um recém-nascido?
Não existe uma recomendação exata sobre o momento em que é permitido sair de casa com um recém-nascido. Porém, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) o ideal é que os recém-nascidos se ausentem de casa apenas nas necessidades: consulta médica, vacinação, realização de testes de triagem neonatal (ou mais conhecido como Teste do Pezinho). Ir ao shopping ou a festinhas de crianças não é recomendado pelo risco de contrair alguma doença e isso ocorre pelo fato de serem locais fechados, sem ventilação adequada e com um grande aglomerado de pessoas. O mais recomendado é ficar em casa, se possível, até o final do segundo mês de vida, momento em que o bebê já se adaptou a amamentação e recebeu as primeiras vacinas para sua proteção imunológica.

Caso você precise sair de casa e levar o seu bebê, lembre-se de que o ideal é que sejam passeios breves, em locais tranquilos, arejados e com pouca gente, preferencialmente ao ar livre. Evite que as pessoas toquem no rosto do bebê; não permita beijinhos de estranhos (podemos não saber quem está doente ou não) ou que o peguem no colo se estiver dormindo. Os recém-nascidos precisam de muitas horas de sono e não devem ser incomodados quando estiverem descansando, isso pode lhes causar um estresse desnecessário. Os bebês muito novinhos não devem sair de casa com mais frequência do que o necessário!

Os banhos de sol podem ser feitos no quintal de casa, ou na área aberta do prédio (em um momento com pouca circulação de pessoas)e no período da manhã.

Noivado, o preparo para a mudança!

junho 26, 2017

Casamento é uma arte! A arte de construir juntos uma vida só a dois.
E o noivado, essa fase que parece ser a preparação da festa do casamento, é na verdade o amadurecimento do namoro para o compromisso “casamento”. A festa dura algumas horas, o casamento dura a vida toda… ou pelo menos esse é o desejo que temos ao casar, certo?
A Dra. Maira C. Baptistussi, cedeu ao Enlaçados um pouquinho da visão da psicologia analítico-comportamental sobre o noivado.
Confira:

12 Dicas para não errar quando for visitar um recém nascido!

junho 23, 2017

Ninguém resiste à notícia de um nascimento, seja de uma amiga, irmã, cunhada, ou apenas conhecida… Mas, como saber quando é a hora certa de visitar? E como devo me comportar? Neste post vamos trazer algumas dicas para ajudar nesse momento, que deve ser apenas de alegria!!

A primeira coisa que devemos ter na hora de visitar uma família que acabou de ter um bebê é Bom Senso – isso mesmo, bom senso nunca é demais. Nós -não grávidas – estamos felizes e excitadas com a chegada de um bebê, mas às vezes esquecemos que o casal precisa de um pouco de espaço para se adaptar a nova rotina.

Então nós recomendamos não ir logo na primeira semana. A gente sabe que a ansiedade é grande e você pode até deixar um recadinho no celular de parabéns, mas respeite o tempo deles. Se coloque a disposição e ajude caso sejam solicitados, mas você pode esperar um pouco para visitá-los. Isso não pega mal, pelo contrário, os novos pais vão aprovar.

Aqui vai algumas dicas legais para vocês não errarem na visita ao recém-nascido!

1. Ligue antes de uma visita, sempre. Surpresas não são muito bem vindas nas primeiras semanas com um recém nascido. Combine o melhor horário para a família, pois pode ser a hora da soneca, da mãe e do bebê, afinal no começo o bebê não tem muitos horários definidos para isso.

2. Essa visita não deve demorar mais do que 30/45 minutos, o suficiente para saber como a mamãe e o novo bebê estão passando e se precisam de algo.

3. Leve algo para o bebê, mas que tal levar algo para o casal também? Tenho certeza que eles vão apreciar esse gesto. Uma boa opção é fazer a visita e levar uma comida pronta, para oferecer aos pais, que nem sempre têm tempo de cozinhar. Mas lembre-se de saber o gosto dos anfitriões!

4. Evite combinar visitas nos horários de refeição, afinal quando nasce um bebê, a rotina da família se altera de tal forma que fazer uma refeição completa representa quase um milagre.

5. Não vá se estiver doente! Como o bebê acaba de chegar ao mundo, ainda não tem o sistema imunológico completamente desenvolvido, nem tomou todas as vacinas. Por isso, ele fica mais suscetível a ação de vírus e bactérias. Melhor se recuperar totalmente antes de conhecer o recém-nascido.

6. A maior parte das mães de recém-nascidos deixa bem aparente para as visitas um frasco de álcool-gel. Não é frescura, nem exagero. Se elas disponibilizam o produto, é porque querem que você use, principalmente antes de pegar o bebê. Não custa, né? Mesmo que elas não tenham um pote para oferecer, lembre-se de lavar sempre as mãos, para proteger o bebê.

7. Apesar de lavar as mãos ou passar o álcool-gel, nossa mão é cheia sujeira, por isso, evite pegar nos dedinhos do pequeno e também não o beije. Pegar no colo, só se a mãe oferecer.

8. Nada de perfumes ou fumar antes da visita…. Devemos sempre lembrar que estamos indo visitar um bebê e seu olfato é muito sensível aos novos cheiros. Sem falar na possibilidade de ele ter uma série de alergias ou restrições, que ainda não foram percebidas.

9. Até agora para todas as visitas a mãe contou sobre as dores do parto, a internação e o nascimento do filho, mas quando você chegar que tal dizer para ela que você ficará com o bebê e que ela pode ir tomar um banho e levar o tempo que precisar, pois você está a postos se o bebê precisar?! Ela vai amar, afinal alguém pensou nela.

10. Se você for bem próxima a família, por exemplo, se ofereça para fazer pequenas tarefas como “tirar o lixo”, repor a dispensa com frutas novas e frescas, por gasolina no carro dela ou outra tarefa menor. Os pais gostariam desse agrado, pois eles ainda estão se adaptando a uma nova rotina e pode ter pequenas tarefas acumuladas.

11. Se ao chegar na casa e a mamãe estiver amamentando, deixe ela sozinha com o bebê, nada de invadir esse momento especial…. Esse momento é dos 2.

12. Não tire fotos, se a mãe não permitir…A gente entende que aquele rostinho é muito fofo, assim como a mãozinha, a roupinha e os cabelinhos e que, por isso, a vontade de fazer uma foto e postar nas redes sociais, para compartilhar com o mundo, é quase incontrolável. Mas segure-se! Só tire fotos e publique na internet se os pais permitirem. Ainda assim, evite o uso de flashes, que podem incomodar o bebê.

Esperamos que essas dicas ajudem na sua primeira visita à um recém-nascido!!!

 

Trabalhar em Casa! Estilo, Conforto e Elegância!

junho 19, 2017

Dicas para um Home Office Produtivo e decorado

Atualmente está cada vez mais comum as pessoas trocarem os escritórios para executarem os trabalhos  em casa, este espaço para trabalho em casa é denominado “home office”. Com a tendência dos espaços residências cada vez menores é preciso adaptar o ambiente doméstico para esta modalidade de trabalho.

Trabalhar em casa exige bastante concentração e disciplina para cumprir as atividades e não se deixar distrair com coisas da casa, por isto vamos apresentar várias ideias de decoração de home offices de vários estilos e tamanhos para você se inspirar.