Navegador por categoria

Destaque

Decoração Feng Shui

agosto 10, 2017

O Feng Shui é uma corrente de pensamento chinesa milenar que tem como um dos seus objetivo equilibrar as energias presentes nos ambientes .Os mestres chineses perceberam que certos tipos de vibrações presentes nos espaços e no seu entorno poderiam trazer benefícios para a mente e para o corpo, sendo o contrário também verdadeiro, por isso a importância estudar a localização das edificações, a disposição dos móveis e objetos decorativos, segundo a interpretação da natureza ,de modo a favorecer os moradores.

Segundo as ideias pregadas pelo Feng Shui, quando as pessoas buscam este equilíbrio com as forças benéficas da Natureza, podem gozar de saúde, boa sorte e prosperidade. Quando as ignoram e se alinham com influências nocivas, podem experimentar dificuldades e obstáculos que podem se expressar como doenças, má sorte ou indisposição

Segundo a corrente, cada ambiente tem dois aspectos o visível  se refere a tudo que podemos ver, sentir, tocar e interagir de forma física e ao invisível estão ligados a características que supostamente explicam porque instintivamente sentimos em alguns locais “energias boas”  e em outros “energias ruins”.

9 CURAS BÁSICAS DO FENG SHUI

Aqui vão algumas alternativas básicas ,práticas e fáceis de realizar para ativar  boas energias na sua casa.

  1. Objetos refletores ou brilhantes
    Espelhos, luzes, bolas de cristal e prismas… Os espelhos, por exemplo, têm várias finalidades e devem ser utilizados de acordo com o seu objetivo. Se desejar espantar as energias negativas que podem entrar na sua residência, coloque um modelo convexo na parede em frente à porta da entrada. Agora, se quiser o contrário (atrair boas vibrações), use um espelho côncavo.

     

    1. Objetos que produzem som
      Sinos dos ventos e etc… moderam a circulação das energias, fazendo com que elas se canalizem de maneira correta. Além disso, são considerados imãs de boa sorte e prosperidade.

       

      1. Seres com vida
        Aquários, plantas, flores e animais simbolizam a natureza nos ambientes e são a manifestação do ciclo da vida. As plantas ajudam na circulação da energia positiva; cada flor possui uma aura de vibrações diferentes e eficientes.

         

        1. Objetos em movimento
          Fontes, móbiles…. Tudo o que puder ser mantido em movimento, seja pela força da natureza ou por meios da eletricidade, tende a fazer circular melhor os fluidos do bem. Além disso, desviam as vibrações negativas e, no caso de fontes ou moinhos de água, estimulam o sucesso financeiro.

           

          1. Flauta de bambu
            Esse é um poderoso objeto de proteção e correção das energias negativas. A flauta de bambu, sempre acompanhada de um cordão vermelho, pode ser colocada nas vigas do teto de uma residência para anular os maus fluidos que esse tipo de construção ocasiona. Diz-se também que, quando balançadas no ar, elas têm o poder de espantar os maus espíritos.

          2. Cores
            Cada cor possui um significando diferente e atua num sector da vida. Elas podem estimular, tranquilizar, iluminar e atrair mais fartura ou saúde. O vermelho é estimulante; o amarelo ativa a criatividade e a longevidade; o verde é sinônimo de renovação e crescimento interior; o azul traz tranquilidade e paz de espírito.

          3. Pedras e esculturas flauta de bambu
            Esses “objetos pesados”, como estátuas confeccionadas em materiais diversos (mármore e pedra-sabão, entre outros) ajudam a criar um clima de estabilidade no lar. Nos momentos de decisão, a representação da solidez e da firmeza se faz presente.

             

            1. Neutralização de eletrodomésticos
              Para neutralizar as energias dos eletrodomésticos, que podem desestabilizar um ambiente, use fitas vermelhas neles. Não precisa deixá-las à mostra, pode colocá-las em um cantinho discreto, onde não sejam percebidas. Se quiser, você também pode adoptar véus vermelhos.

             

            1. Curas especiais
              Outra maneira de anular as energias negativas de uma viga aparente no teto é pendurar nesse local uma franja de tecido ou quando quiser espantar a dor de cabeça, coloque um giz debaixo da sua cama.

O Consumismo Exagerado no Casamento

agosto 7, 2017

Falar de casar é muito bom! Organizar uma festa de casamento é melhor ainda!
Mas temos que nos atentar a compulsão exacerbada dos noivos na hora de organizar a festa do casamento.

Esse é o momento que vocês mais importante na vida de um casal, é onde vocês de fato vão começar a se conhecer, onde vão aprender a lidar com escolhas e dinheiro juntos. Veja, não é nada preocupante, basta que vocês tenham sensatez nas escolhas e prezem pela qualidade ao mesmo tempo que saibam controlar a reserva financeira que existe para sua festa!
É, mas ai que está o problema: CONTROLE. Controle é algo que muitas vezes perdemos no momento da organização do casamento… é comum os casos que a lista de convidados estava em 150 pessoas, de repente virou 300; o teto da decoração era X, mas não contavam com a cobertura do gramado porque o mês era chuvoso; o valor da banda era X mas esqueceram de contar com o gerador… etc

Na hora de preparar o casamento consumimos mais que planejamos, primeiro pela inexperiência, e segundo pela ideia ilusória de que quanto mais melhor.
Se seu orçamento é alto, você tem mais tranquilidade para escolher o que terá no seu casamento. Mas se seu teto não for muito alto, então terá que fazer escolhas. E aqui vão algumas dicas na hora de definir o que seu casamento terá:
>É o que se espera de um casamento?
>É muito importante para meu noivo e eu?
>Vai eternizar nosso momento?
>O custo benefício vale a pena?

O que todos querem ver em um casamento são os noivos! Estejam na pista, dancem, vocês quem vão animar seus convidados.
Mas, pode economizar com aquele laser que só serve para machucar os olhos dos convidados, incomodar idosos e crianças. Uma boa iluminação deixa sua festa clean, fina, e ajuda a economizar. Aproveite e economize também com a máquina de fumaça, ou máquina de “estragar as fotos”, esse tempo já passou, o excesso de fumaça só serve mesmo para seus convidados tossirem e as fotos ficarem esbranquiçadas e por vezes, perder imagens que seriam lindas no seu álbum. E você pode economizar também com as plaquinhas, já que o assunto é cortar gastos, as plaquinhas até são legais, mas se precisa economizar, com certeza corta-las não seria uma grande perda!

Ouvimos bastante sobre o mini wedding, (meu preferido aliás), e como ele está ganhando corpo no Brasil. Acho um estilo de casamento muito assertivo. Se você puder, claro, se estiver dentro da sua realidade familiar e pessoal, opte por casar assim, com menos convidados, mais intensidade, mais singularidade, mais intimidade… obvio, isso não é uma regra ou tendência, é só uma opção fina, intimista e elegante para pessoas com facilidade em reduzir a lista de convidados.

Mas se você tem aquela família enorme, um monte de amigos e pessoas importantes e realmente não se encaixa no mini wedding, não peque no essencial para ter também o trivial.

Sirva bem, um bom buffet, (e veja que disse um bom buffet e não um buffet cheio de opções que não fazem parte da sua realidade), e vejam ainda que com isso não quis dizer para optar por pratos do dia a dia, mas lembre-se que O MEIO É A MEDIDA CERTA!

Tenha uma decoração elegante, e elegância não é sinônimo de encher o lugar de flor e vasos enormes, elegância é saber compor o espaço com uma distribuição perfeita de elementos harmônicos.

Ofereça boa música, festa para mim tem que ser alegre, mas lembre-se, sua avó provavelmente estará lá… dispense excessos de efeitos de luz, ou aquele laser… seu casamento não é boate! Nem todo convidado vai à pista, cuide para que a pista não chegue a quem está sentado à mesa.
(reparem a diferença de estilo, vejam como a foto da esquerda é mais fina, e a foto da direita mais pesada)

Sirva bebidas, alcoólicas, mas por favor, lembre-se de novo que o meio é a medida certa. Nenhuma noiva precisa de escândalos desagradáveis por excesso de álcool!

Outra coisa que achei muito interessante, e confesso que na época do meu casamento pensei muito nisso: que lembrancinha dar aos padrinhos??? Resposta: Querida, quem está casando é você, você já vai dar uma festa linda feita com muito carinho. Não se preocupe em gastar mais esse dinheiro!

Fiquem atentas com o que é mais básico. Quando vamos à um casamento esperamos boa comida, bebida e uma festa super divertida.
Não adianta chegar à festa com mil detalhes, como cabine de fotos, escalda pés, intervenção artística, e o buffet estar frio, a bebida ser de segunda qualidade e mal servida, a pista de dança vazia e o som ruim. Se o seu orçamento é enxuto, foque no que é essencial! Menos opções e mais qualidade! Uma boa banda por exemplo, pode tornar sua festa inesquecível para todos.

Decorar com elegância e pouca verba é possível sim!
Detalhes, na maioria das vezes saem super barato e dão um charme especial. A mesa do bolo não precisa ser abarrotada de flores, mas precisa ser fina e elegante. Os docinhos com um envolto bonito dão um up na decoração e custa super barato, livros e peças da casa da vovó podem ajudar na decoração e dar aquele charme vintage. Velas, a luz que ela emite já deixa tudo mais lindo por si só.
Sua criatividade vale muito dinheiro na hora de decorar. E você pode economizar tirando o que não aparece, como aquele carro de luxo que vai te levar do salão de beleza para a igreja, e só você e o cerimonial irão vê-lo, depois terá mais duas ou três fotos nele. O carro é legal, mas se o assunto é cortar gastos, corte o que não aparece!

25ª SEMANA MUNDIAL DE AMAMENTAÇÃO

agosto 4, 2017

Estamos na 25ª semana mundial de amamentação e o tema esse ano foi sobre O TRABALHO CONJUNTO PARA O BEM COMUM.

E nós do blog enlaçados juntamente com a empresa BacyCoach não poderíamos ficar de fora dessa  e dar a nossa contribuição sobre esse tema tão lindo, o qual amamos falar!

Este mês estamos comemorando o Agosto Dourado em apoio ao aleitamento materno. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno, além disso é uma cor toda especial, que já percorre o mundo com o seu laço simbólico. São trinta dias, em que são celebrados a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento.

Há cerca de vinte anos, entre os dias 1º e 7 de agosto acontecem ações, no mundo todo, em prol da amamentação e a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) faz parte de uma história focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança.

Os objetivos desse ano é buscar o apoio dos governos e diversos setores da sociedade para PROMOVER, PROTEGER e APOIAR a amamentação; construir alianças sem conflitos de interesses para fortalecer as políticas e programas de aleitamento materno e alimentação infantil; e mobilizar e desenvolver ações para a promoção, proteção e apoio à amamentação e práticas adequadas de alimentação infantil.

O slogan da campanha esse ano é Amamentar: ninguém pode fazer por você. Todos podem fazer JUNTO com você! E a intenção é desencadear ações conjuntas em prol da amamentação, afinal juntos somos mais fortes.

Como bem sabemos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a amamentação é a principal forma de fornecer ao bebê os nutrientes necessários para sua sobrevivência e seu desenvolvimento. Nos primeiros seis meses de vida, o ideal é ocorrer o aleitamento materno exclusivo, sem a complementação com nenhum alimento e se estender até os dois anos ou mais, combinados com outros alimentos. A estimativa é que a amamentação exclusiva até os 6 meses salve pelo menos 6 milhões de crianças no mundo todo.

Além dos benefícios proporcionados pela amamentação aos bebês, o aleitamento contribui e muito para a saúde das mamães. Além da perda de peso e recuperação pós-parto mais rápida, a amamentação previne na mulher o câncer de mama, de útero e ovário, diminui os riscos de hemorragia pós parto e estreita a relação mãe-filho.

No mundo, apenas 40% das crianças são amamentadas exclusivamente, até seis meses de idade. A meta global até 2025, é que pelo menos 50% dos lactentes sejam amamentados (OMS – Organização Mundial da saúde)

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS “A amamentação dá aos bebês o melhor começo possível na vida”, além disso, “O leite materno funciona como a primeira vacina de um bebê, protegendo-o de doenças potencialmente mortais e dando-lhe todo o alimento que precisa para sobreviver e prosperar”.

Sabemos o quanto é difícil amamentar e persistir. Não é um caminho fácil a ser percorrido, por isso vamos incentivar, apoiar e ajudar aquelas mulheres que estiverem com alguma dificuldade na amamentação. E essa ajuda não é aquela palpiteira não, mas sim oferecer a ajuda necessária, demonstrando apoio, ensinando estratégias que ajudem na amamentação e levando informação de qualidade e que possa ajudá-la.

Além disso, vamos cobrar mais eficácia das políticas públicas voltadas para esse tema, com o aumento do investimento governamental, de forma que o jogo de interesses entre governo e indústrias seja deixado de lado e a saúde das crianças seja nosso objetivo maior!

#SMAM2017 #JuntosPelaAmamentação #AleitamentoMaterno #AgostoDourado #PadrãoOuro

 

 

 

 

Casamento Real

agosto 1, 2017

Casar no processo!

Érica e Silvio – 14/07/2017

Um chapéu panamá comprado em 2011. Eu havia terminado o doutorado e durante as comemorações, avistei o chapéu que ele tanto queria e já pensei que o ‘próximo passo seria o casamento’. Um vestido não branco, mas champanhe, encontrado na forma de “amor a primeira vista” e comprado em uma loja de departamento em época de ano novo – porque tá tudo branco ou quase branco nas vitrines e, assim, com um pouco de criatividade podemos encontrar um “vestido de noiva”. Isso foi entre 2013 e 2014, mesmo ano da compra das alianças. Depois de olhar muito todas as vitrines e quase desistindo, cruzei com ele pendurado em um cabide na tal loja de departamento, com outros dois iguais, e com aquelas etiquetas de preço bem à mostra, sem nenhum glamour…, mas com uma energia sutil de felicidade, maravilhosa – foi o que sempre sonhei para meu casamento: naturalidade. Éramos simplesmente eu e ele (vestido) ali, nos entendendo à primeira vista, mas no meio de várias mulheres ao redor, fazendo suas compras, nem sequer sonhando que eu, naquele momento, escolhia o meu vestido de noiva. Pelo menos pra mim. Pelo menos para a noiva despretensiosa que eu pretendia ser. Instantaneamente meu lado visual e perceptivo aguçado, próprio dos arquitetos, já contextualizou aquela forma e textura bordada em um conjunto de arranjos, acréscimo de um pouco de brilho, o buquê, o ambiente, a atmosfera e energia de um casamento. Um casamento sonhado, a princípio, para ser em uma praça com desenho circular no meio, onde eu e meu marido nos encontraríamos no centro, vindos um de cada lado. Os convidados em pé contornando o círculo. Receberíamos uma benção, estouraríamos um champanhe e brindaríamos. Era simples assim… O que sempre importou para mim no casamento, seria toda esta atmosfera de bênçãos e energia que receberíamos por estar no meio da natureza, cercados por pessoas queridas e focados um no outro.

Ainda passariam 6 anos após a compra do chapéu-panamá, 3 anos e meio após a compra do vestido e 3 anos após a compra das alianças, que passou a ser um objeto de enfeite na estante de livros; recusei-me a guardá-las no fundo do armário, como estavam o vestido e o chapéu. Era um objeto nosso, então deveria ficar em um local onde nós poderíamos ver. Confesso que durante este tempo houve muito desânimo e frustração com relação à possibilidade de realizar o ritual do casamento. Vez ou outra eu olhava para o vestido e … baixava o olhar… Vez ou outra eu abria a caixa das alianças e voltava para o mesmo lugar. Já estávamos casados na vida cotidiana, mas o momento de tomarmos a decisão de realizar nossa cerimônia parecia não chegar. Até chegar aquele ponto em que você se entrega e para de pensar ou falar… deixa acontecer por si… Mas não percebemos que a essência e energia está toda no ar, ainda que quieta, já estava em construção, esperando o momento. E é quando acontece!!  Parece uma fórmula da natureza: pare de forçar que acontece! Alguns elementos de desejo foram movidos, a ideia e intenção comunicada para a natureza, é só deixar agir. Chega o momento que ela age.

Julho de 2017 seria a data que completaríamos 10 anos juntos. Muitas outras questões emocionais, práticas e financeiras já estavam sendo resolvidas há algum tempo, e então, finalmente era chegado o momento de concretizarmos nosso casamento!!! Com tanta programação sutil ao longo dos anos, não foi tão difícil concretizar o civil e a cerimônia em pouco mais que dois meses.

Eu mal imaginava o quanto o processo de organização do nosso casamento seria tão edificante para mim como pessoa e para nós enquanto casal.

Quando a vida e nossa energia decidem que “sim”, não há nada que possa agir no “não”. Começava a corrida para realizar o dia que seria um dia perfeito para nós. Mas, antes, muitas coisas aconteceriam, e coisas maravilhosas. A praça foi substituída e adaptada para um lugar com árvores, sol, natureza. Onde encontrar isso em Ribeirão, um lugar pequeno, dentro do nosso orçamento e perfil de cerimônia. Uma amiga indicou o restaurante Matuto. Visitamos dois outros lugares antes, mas quando pisamos no Matuto, foi um amor à primeira vista tão forte para os dois, que foi difícil ir embora da visita. Pronto, estava decidido. Aquele era o lugar. Gramado impecável, jeito caseiro, parecido com nossas raízes simples, piso vermelhão (que amo!), árvores, sombra, samambaias e um toque de organização e requinte que também prezamos. Não tínhamos dúvida de que a comida era deliciosa, pelas boas referências. E a empatia e simpatia da Chefe, agregou ainda mais nosso sentimento de “estarmos à vontade para casar no local”. Do contato com as pessoas tão receptivas do Matuto, foi indicada uma cerimonialista: eu jamais havia pensado em uma cerimonialista, mas começava a se delinear a necessidade de uma, se quiséssemos algo bem feito.

Cada dia mais percebo que a energia que carregamos é a que atraímos. Isso parece meio clichê, mas quando entramos em uma sintonia onde tudo flui, coisas maravilhosas podem acontecer. Todos os contatos foram uma sucessão de facilidades, coincidências, energia positivas e empatias que foram construindo dentro de mim um fortalecimento incrível, enquanto pessoa e para nós dois enquanto casal. Fomos casando aos poucos, a cada contato, conversa em casa e nos encontros. Nossos votos foram feitos no decorrer de todo esse processo, em casa, com amigos, começamos a nos redescobrir nesta nova maneira, e fomos nos casando com outros “nós mesmos” também. A cada contato com as pessoas, uma celebração à nossa união. A cada tarefa a cumprir, buscar pessoas e soluções para nosso evento, um desafio pessoal a vencer. Organizar cada detalhe do casamento foi um desafio pessoal magnífico que fui superando a cada passo. Dirigir mais, negociar, orçar, pintar aquarela, criar os convites, tags, cardápio e folhetos de poemas, fechar os convites com selo de cera em um ritual delicioso e difícil ao mesmo tempo, costurar com a ajuda de minha mãe, escolher músicas até de madrugada, chorar sem saber por que, não dormir direito, mas estar inteira e pronta pra fazer tudo no dia seguinte… e assim, com uma boa vontade imensa, apesar do cansaço, fui e fomos encontrando as pessoas certas, de maneira fluida.

Ter indicação de uma cerimonialista maravilhosa (Sandra Olivério), que foi empatia à primeira vista, pessoa inesquecível que soube entender todos os nossos limites e “times”, valorizar nossa simplicidade e bom gosto ao mesmo tempo.

Bater um papo maravilhoso com uma fotógrafa amante do simples, do descontraído e dos animais, como a Sté Frateschi. Rimos e choramos juntas no primeiro encontro, falando de nossos anjos de quatro patas. Pronto, resolvido, era ela! Nos acompanhou com felicidade nos vários momentos: civil, making off, casamento e pós-casamento na praça com nossas filhas pet.

Encontrar nos últimos dias, a mesma energia com a Jessica (Panorâmica filmes), que prontamente e delicadamente se entusiasmaram com o formato do nosso casamento. Café, brigadeiro, risadas, emoções, empatias… mais uma energia decidida. Eu estava vivenciando e valorizando cada um destes momentos.

Entre flores, arranjos, maquiagem, cabelo e bolo, aluguel de móveis, peças… a repaginação do acabamento do meu vestido, foi um processo enriquecedor. Lutar contra o uso de um véu, pois não me encontrava em nenhum e, “de repente”, assumir que o que eu queria mesmo era um véu amarrado, tipo “pirata”. Muitas das imagens da minha pasta do Pinterest tinham este véu, mas por algum motivo, eu negava a possibilidade de usá-lo (parecia não ser pra mim). No momento em que “ousei” experimentá-lo, 4 dias antes do casamento, eu parecia uma flor desabrochando, uma confiança se instalando. Eu me senti linda instantaneamente e isto foi um dos momentos mais emocionantes, uma cereja em todo o meu processo particular do casamento. Porque nos boicotamos tanto? A oportunidade estava ali… eu não teria outra, então, assumi!

Para finalizar penso que o tempo se encarrega de juntar as peças que vamos deixando marcadas; desejos expressados aqui e ali, convergindo em uma situação que acaba por surpreender a nós mesmos. Não imaginamos o tamanho da nossa obra quando no dia a dia valorizamos os pequenos atos. A somatória da conta chega, seja positiva ou negativa. Pra mim o casamento não precisava ser grandioso em números e volumes, mas as pequenas boas energias guardadas ao longo do tempo (música, chapéu, vestido, alianças…), envoltos em energia criativa, essência do bem e vontade em dividir isso com pessoas queridas era forte. Resultou em um dia maravilhoso e perfeito para nós. Com “pouco” fizemos muito. O suficiente para nos sentirmos felizes, amados, abençoados e realizados com nossa pequena grande obra, recheada de pessoas do bem, atraídas pela nossa essência. Não somos perfeitos, mas o processo nos faz melhorar. Isto tudo me faz lembrar do ditado que diz: o caminho se faz caminhando e a chegada, apenas o recomeço de uma nova caminhada.

Érica Cristina Cunha

Fornecedores:

Cerimonialista: Sandra Olivério
Local: Matuto Restaurante
Flores: Flores e Festas RP
Doces e Bem-casados: Le Bonbon Chocolate
Bolo: Izabela Junqueira
Foto: Sté Frateschi
Vídeo: Panorâmica Filmes
Móveis: Center Festas
Customização do Vestido: Célia Marquesini

DO IT YOURSELF

julho 26, 2017

Decoração suspensa com cordas

As decorações estão cada vez mais descontraídas permitindo misturas de estilos sem medo (clássico com industrial, rústico com clássico, e por aí vai…).

Os DIY (do it yourself–faça você mesmo) invadiram nossa “praia” e graças ao Pinterest, hoje temos acesso aos tutoriais mais bacanas do mundo todo, com apenas um clique de distância.

Tudo isso torna cada vez mais acessível a todos decorações e ideias que antes você teria que pagar alguém para fazer, mas que atualmente com pouco investimento, um pouco de habilidade você mesmo pode deixar sua casa incrível.

E quem gosta de colocar a mão na massa na decoração de casa vai amar o tutorial de hoje que é prateleira suspensa feita com madeira e cordas. O mais legal é que você pode aplicar esta técnica de diversas formas e nós vamos mostrar algumas inspirações para você.

Materiais: Madeira, cordas, ganchos, uma furadeira (para prender os ganchos) e tinta (caso queira pintar a madeira).

 

 

Precisamos Falar de Icterícia!

julho 21, 2017

A icterícia neonatal ou icterícia do recém-nascido é um quadro que provoca coloração amarelada na pele e nos olhos de um bebê recém-nascido.

A icterícia aparece no bebê saudável quando o sangue fica com excesso de uma substância chamada bilirrubina (hiperbilirrubinemia), que é produzida durante o processamento pelo organismo dos glóbulos vermelhos de que ele não vai precisar mais. Os recém-nascidos tendem a ter níveis de bilirrubina mais elevados porque possuem hemácias extras no corpo, e seu fígado ainda não consegue eliminar o excesso de bilirrubina.

Na maioria dos bebês, a iciterícia é um fenômeno normal e transitório. No entanto, em alguns casos, os níveis sanguíneos de bilirrubina podem elevar-se excessivamente, alcançando níveis que são tóxicos para o sistema nervoso central.

A icterícia fisiológica, que é aquela que é considerada normal e esperada, inicia-se entre o  3º e 10º dias de vida e desaparece em até 2 semanas. Nos bebês prematuros, ela pode demorar um pouco mais. Como a imensa maioria dos recém-nascidos melhora espontaneamente da icterícia, o tratamento só é indicado nos casos mais graves.

Quando a icterícia é bem leve, o médico pode indicar apenas um banho de sol de cerca de 15 minutos de manhã e à tarde, antes das 10h e depois das 16h. O banho de sol ativa a produção de vitamina D, que além de facilitar na absorção do cálcio, também ajuda a eliminar a bilirrubina em excesso no corpo.

A fototerapia é o tratamento mais utilizado para baixar os níveis mais altos de bilirrubina no sangue. O recém-nascido é colocado sob uma luz azul fluorescente que age quebrando a molécula de bilirrubina depositada na pele em pedaços, facilitando a sua excreção na urina e nas fezes. A melhora do caso pode se perceber muito rápido já que a pele que antes estava bem amarela começa a tomar tons mais normais já no segundo banho de sol, ou primeiro dia de fototerapia.

A luz ultravioleta ou a luz do sol agem na pele do bebê transformando o excesso de bilirrubina em substâncias que são mais fáceis de serem eliminadas pelo fígado.

Mais de 50% dos bebês saudáveis e absolutamente normais ficam com a pele amarelada nos primeiros dias depois de nascer. Se isso acontecer com seu bebê, não é preciso se apavorar, mas é preciso falar com o pediatra. Porém, devemos lembrar que a icterícia pode alcançar níveis mais altos e graves, se não tratada. Por isso a importância do banho de sol e consultar o pediatra para uma avaliação completa.

O que importa mesmo é o bebê tomar banho de sol independente de ter ou não sinais da icterícia neonatal aproveitando o solzinho da manhã ou da tarde!

Como você quer lembrar o seu casamento?

julho 10, 2017

Quando casei tudo foi extremamente minucioso… Escolhi cada música do cortejo com um carinho especial, queria que todas elas tivessem um significado real para nós, e quem as cantou foi uma grande amiga, que seria madrinha, inclusive. Ou seja, tudo ali tinha grande valor.
Da mesma forma os convidados todos eram pessoas muito próximas, foi um mini wedding. A decoração foi ousada e a mesa do bolo desconstruída… Tudo muito pessoal, particular e único!!!

Acredito que assim como o meu casamento, o seu também tem um valor todo especial e ímpar!

Acontece que eu simplesmente não ouvi minha amiga cantando no cortejo, quando eu entrei para a cerimônia não conseguia distinguir aqueles rostos me encarando com carinho e felicidade, e no dia seguinte eu não me lembrava de ter reparado na decoração, não me lembrava das horas longas de festa… parecia que tudo tinha durado poucos e intensos minutos!

Conversando com várias noivinhas do Enlaçados, descobri que isso não aconteceu apenas comigo. São muitas emoções para lidar, e acontecem muitas coisas em pouco tempo. Mesmo que você lembre de tudo que aconteceu, você não vai ver tudo que estiver acontecendo ali, é muita gente, muitas ações simultâneas… e acredite, você vai ficar feliz em ver como todos estavam festejando por você!

Ainda ontem me deu saudade do meu casamento e resolvi assistir o vídeo, foi muito gostoso reviver esse dia especial.

Você tem que saber que o vídeo do seu casamento é a única oportunidade de você ouvir aquele “SIM” novamente, é a única forma de reviver as emoções da cerimônia com seus gestos delicados e respirações profundas afim de conter o choro, de rir de novo com as graças da festa, da alegria da família e amigos pulando com vocês para comemorar, dançar, brindar!!!

O vídeo é o que fica! E o que fica tem que ficar com a essência de vocês, tem que ter a alma daquele dia contida nas imagens. Não deixe a importância do vídeo nas mãos de um amador… Tudo o que você escolheu, toda a diversão e emoção do dia mais importante da sua vida se resumirão nos vídeos!

Existem vários tipos de vídeos que as empresas podem te oferecer.
Os mais completos para você assistir com a família e padrinhos, os curtinhos que vão para a internet e são sempre um sucesso, (como esses que vamos mostrar aqui), tem os que vão para instagram, e tem empresas que te oferecem todo o material que foi captado, mesmo aquelas imagens que não entraram na edição. Se possível, pegue esse material todo!!! Um dia você vai querer ver cada detalhe, com saudade, carinho e gratidão!

 

 

 

 

Arte com Linhas!!!

julho 6, 2017

String art

Vamos mostrar hoje uma daquelas técnicas DIY ( doi it yourself ) que faz os dedos coçarem de vontade de sair logo correndo para fazer, pois é fácil, barato e tem um resultado muito bacana, além de multifuncional, você pode adaptar e usar na parede, em um quadro, em um pedaço de madeira… basta usar sua imaginação.

String Art ou Arte com Linhas: “técnica de origem europeia, que utiliza madeira, pregos e linhas coloridas para formar figuras geométricas ou desenhos diversos, de maneira singular, tridimensional, com sobreposição de camadas.”

 Inspire-se nas imagens que vamos mostrar e coloque a mão na massa, uma dica é aproveitar as férias escolares dos filhos, sobrinhos e etc e pedir para eles te ajudarem, as crianças vão adorar.

AQUI você encontra vários templates para imprimir.

 

O quarto trimestre da gestação e a exterogestação.

junho 9, 2017

A exterogestação compreende os primeiros 9 meses da vida extra-uterina do bebê, tempo geralmente suficiente para aprender a engatinhar, começar a se alimentar e dessa forma, sair de situações de risco quando está “longe” de sua mãe.

A gestação leva 9 meses, mas o bebê não está efetivamente pronto, pois se compararmos aos outros mamíferos ele é imaturo e depende muito mais dos cuidados de um adulto. O recém-nascido não consegue se levantar, coordenar os movimentos, se aquecer, se virar… A espécie humana – mamífera e bípede –  continua se desenvolvendo fora do útero, diferente dos demais animais, que já nascem andando. O cérebro se desenvolve e cresce tanto depois do nascimento, que o parto vaginal seria inviável (caso a gestação durasse mais tempo) e por isso, mesmo a gestação sendo completa o desenvolvimento continua acontecendo.

Ao final da exterogestação, o cérebro desenvolveu 50% e até 2 anos 80%, ou seja, estimular o bebê, dar atenção, amor e alimentação adequada nesse período faz toda a diferença.

O quarto trimestre

O pediatra Harvey Karp, autor do livro “O Bebê Mais Feliz do Pedaço. Por quê?” diz que devemos pensar nos três primeiros meses de vida do bebê como o quarto trimestre da gestação. Logo, reproduzir o que ele ouvia e via, os cheiros, sabores, texturas e temperaturas que sentia dentro do útero podem ajudar a acalmá-lo e a se sentir são e salvo – assim, ele vai chorar menos e dormir melhor. Para ele, o DESEJO de acalmar o bebê é instintivo, mas COMO fazê-lo não é, pois acalmar o bebê é uma habilidade que deve ser desenvolvida e aprimorada.

O quarto trimestre é a continuação da gestação e esses três primeiros meses de vida extra-uterina acabam sendo o tempo necessário para a adaptação do bebê no mundo aqui fora.

O silêncio absoluto incomoda, pois ele estava acostumado com os batimentos cardíacos, líquido e fluxo sanguíneo.

A luz excessiva também incomoda, pois ele estava sempre protegido de grandes variações de luminosidade.

O vazio ao redor, frio, movimentos irrestritos, também, pois ele estava acostumado a ficar contido em um espaço, seguro e sem grandes interferências.

Qualquer coisa assusta. O bebê recém-nascido precisa de colo, precisa ser acalentado, ouvir batimentos cardíacos, precisa de peito e calor humano para que se acalme. Você deve reproduzir as condições em que ele vivia dentro do útero para que ele se sinta seguro.

Acalme-o pelo tato

O berço do seu filho parece um galpão comparado com a confortável ambiente do qual ele acaba de ser expulso. Como as coisas eram apertadinhas no útero, o bebê estava acostumado ao estímulo tátil permanente. Alguns especialistas dizem que a transição do útero para o mundo fica mais fácil se o bebê é lembrado desse embrulho.

  • Faça o famoso pacotinho, ou charutinho. Com isso trazemos a sensação da limitação, assim como acontecia no útero.
  • Uma maneira de recriar a sensação física que o bebê tinha no útero é tirar a blusa e segurá-lo de encontro ao peito, contato pele a pele.  O pai também pode tirar a camisa e experimentar esse contato!
  • Massageie seu bebê, suavemente, por cerca de 10 minutos diariamente. Ele vai dormir melhor. A Shantala é uma ótima opção!

Acalme-o pelo olfato

Estudos vêm mostrando que o feto tem noção de odores, pois toda criança consegue reconhecer sua mãe pelo cheiro imediatamente após nascer.

  • O seu cheiro não só é reconhecível – é o melhor calmante que existe. Emprestar seu cheirinho a objetos que ficam perto de seu filho é uma boa maneira de acalmá-lo.
  • Não abuse de perfumes. Cheiros muito fortes, que não chegavam até o bebê pelo líquido amniótico – como o aroma de produtos de casa, banho e higiene – podem irritar o olfato de um recém-nascido. É bom dar um descanso para seu perfume também, mesmo que você tenha usado durante a gravidez.

Acalme-o pela audição

Se você anda na ponta dos pés desde que saiu da maternidade, pode parar. Não é o silêncio que vai acalmar seu bebê. Como já dissemos anteriormente, a falta de barulho é algo estranho para ele. O primeiro sentido que um embrião desenvolve é a audição, por volta de nove semanas. Na barriga, o bebê ouvia os sons do corpo da mãe. Além disso, todo barulho de fora acaba fazendo parte da sinfonia que rola dentro do útero.

  • O jeito mais fácil de você reproduzir a “música ambiente” do útero é fazer o clássico “shhh”. E pode fazer bem alto: “O barulho que o bebê escuta dentro do útero é mais forte que o de um aspirador”, de acordo com o dr. Karp. Tente chegar perto do volume do choro do bebê.
  • Converse com seu bebê. Seu bebê ouvia a sua voz antes de nascer. Falar com seu filho vai acalmá-lo. Também leia em voz alta. Recém-nascidos podem reconhecer uma história que você contou muitas vezes durante a gravidez. Neste caso, fale devagar e baixinho.  Coloque sons que você estava habituada a ouvir durante a gravidez, como música, por exemplo.

Acalme-o pela visão

A visão começa a se desenvolver por volta de 26 semanas de gravidez. Com poucos dias de vida, o bebê distingue entre a imagem de sua mãe e a de um estranho. Ajuste a luz. No útero, seu filho conseguia perceber um pouco da luz de fora, sim. Uma luz bem suave pode acalmá-lo.

  • Mostre seu rosto. Seu rosto deixa o bebê aliviado, pois está associado com o cheiro e com a voz que ele conhece desde a barriga. Pode ser difícil olhar nos olhos de uma criança no maior berreiro, mas respire, aproxime-se e fale com voz calma.
  • Mas atenção, permita que ele tenha contato com a luz, especialmente a natural, para que ele possa diferenciar o dia da noite. O seu filho não percebe que madrugada é hora de dormir, pois na barriga, dia e noite eram a mesma coisa para ele. O Dr Karp explica que “Se você quer organizar o ritmo das sonecas do bebê, exponha-o à luz.” Para ele, a solução para corrigir bebê que fica acordadão durante a noite é dar umas voltinhas com ele durante o dia, no carrinho.

Acalme-o pelo paladar

No útero, o bebê podia experimentar os alimentos que você consumia via líquido amniótico. Depois, ao ser amamentado, o bebê pode ter preferências pelo sabor dos alimentos que passam pelo leite da mãe.

  • Vá com calma. Dê mais um tempo para voltar a consumir aquele roquefort proibido pelo médico durante a gravidez. Alimentos muito diferentes causam estranhamento para o seu pequeno.
  • Coma bem. Mantenha a dieta que fazia durante a gravidez. “Tem gente que diz para evitar alho enquanto se amamenta, mas alguns bebês até preferem, pois é com o que estão acostumados”, diz o dr. Karp.

Agora é só colocar essas dicas em prática e aproveitar um bebê calminho, calminho!!

 

Inspirem-se!

maio 15, 2017

Em homenagem ao dia da família, hoje vocês conhecerão uma família linda, que foi muito esperada, e que de tanto esperar, a Clara eu um jeito de antecipar as coisas…

Essa é a história de Roberta e Nélio:

“Nos conhecemos em 2013, num evento bastante inesperado, que trabalhamos juntos.
Eu já tinha decidido casar com ele muito antes do pedido oficial, que foi em junho de 2016.” Conta Roberta ao blog.

O que a Roberta não imaginava é que Nélio também já tinha se decidido…

“O pedido foi maravilhoso, no meio de um café da manhã no parque Frederiskberg Garden, na Dinamarca. Foi a maior surpresa, e eu senti uma das maiores felicidades da vida! Íamos nos casar em maio de 2017…”

E esse casal era tão iluminado, que além de Roberta e Nélio, mais alguém já tinha decidido fazer parte dessa família…

“…mas ganhamos um presente lindo da vida, que foi a vinda da Clara. Então antecipamos para o casamento para e montamos a festa em 50 dias. Nós três: eu, Nélio e Clara.”

É, parece que a decisão do casal foi tão intensa que contagiou o Todo, e tudo conspirou para que o casamento fosse maravilhoso, e logo menos a Clara estará aqui, revendo esse lindo momento que ela ajudou a acontecer!

Cerimonial: Cleiton Guaragni Eventos
Fotografia: Semeghini Gustavo
Filmagem: Panorâmica Filmes
Decoração: Estação Primavera
Espaço: Espaço Loy
Projeção Mapeada: multisolutions tecnologia em eventos
Vestido: Marco Castioni
Bar: Flairs Bartenders
Buffet: RENATO AGUIAR Festas
Orquestra: Orquestra Capelozza – Desde 1996
Doces: Nougatine Doces e Chocolates Gourmet e Marina Magalhães Doces
Bolo: Marcia Junqueira
Making of Noiva: Luminus Cabeleireiros