Navegador por categoria

Bebê

O quarto trimestre da gestação e a exterogestação.

junho 9, 2017

A exterogestação compreende os primeiros 9 meses da vida extra-uterina do bebê, tempo geralmente suficiente para aprender a engatinhar, começar a se alimentar e dessa forma, sair de situações de risco quando está “longe” de sua mãe.

A gestação leva 9 meses, mas o bebê não está efetivamente pronto, pois se compararmos aos outros mamíferos ele é imaturo e depende muito mais dos cuidados de um adulto. O recém-nascido não consegue se levantar, coordenar os movimentos, se aquecer, se virar… A espécie humana – mamífera e bípede –  continua se desenvolvendo fora do útero, diferente dos demais animais, que já nascem andando. O cérebro se desenvolve e cresce tanto depois do nascimento, que o parto vaginal seria inviável (caso a gestação durasse mais tempo) e por isso, mesmo a gestação sendo completa o desenvolvimento continua acontecendo.

Ao final da exterogestação, o cérebro desenvolveu 50% e até 2 anos 80%, ou seja, estimular o bebê, dar atenção, amor e alimentação adequada nesse período faz toda a diferença.

O quarto trimestre

O pediatra Harvey Karp, autor do livro “O Bebê Mais Feliz do Pedaço. Por quê?” diz que devemos pensar nos três primeiros meses de vida do bebê como o quarto trimestre da gestação. Logo, reproduzir o que ele ouvia e via, os cheiros, sabores, texturas e temperaturas que sentia dentro do útero podem ajudar a acalmá-lo e a se sentir são e salvo – assim, ele vai chorar menos e dormir melhor. Para ele, o DESEJO de acalmar o bebê é instintivo, mas COMO fazê-lo não é, pois acalmar o bebê é uma habilidade que deve ser desenvolvida e aprimorada.

O quarto trimestre é a continuação da gestação e esses três primeiros meses de vida extra-uterina acabam sendo o tempo necessário para a adaptação do bebê no mundo aqui fora.

O silêncio absoluto incomoda, pois ele estava acostumado com os batimentos cardíacos, líquido e fluxo sanguíneo.

A luz excessiva também incomoda, pois ele estava sempre protegido de grandes variações de luminosidade.

O vazio ao redor, frio, movimentos irrestritos, também, pois ele estava acostumado a ficar contido em um espaço, seguro e sem grandes interferências.

Qualquer coisa assusta. O bebê recém-nascido precisa de colo, precisa ser acalentado, ouvir batimentos cardíacos, precisa de peito e calor humano para que se acalme. Você deve reproduzir as condições em que ele vivia dentro do útero para que ele se sinta seguro.

Acalme-o pelo tato

O berço do seu filho parece um galpão comparado com a confortável ambiente do qual ele acaba de ser expulso. Como as coisas eram apertadinhas no útero, o bebê estava acostumado ao estímulo tátil permanente. Alguns especialistas dizem que a transição do útero para o mundo fica mais fácil se o bebê é lembrado desse embrulho.

  • Faça o famoso pacotinho, ou charutinho. Com isso trazemos a sensação da limitação, assim como acontecia no útero.
  • Uma maneira de recriar a sensação física que o bebê tinha no útero é tirar a blusa e segurá-lo de encontro ao peito, contato pele a pele.  O pai também pode tirar a camisa e experimentar esse contato!
  • Massageie seu bebê, suavemente, por cerca de 10 minutos diariamente. Ele vai dormir melhor. A Shantala é uma ótima opção!

Acalme-o pelo olfato

Estudos vêm mostrando que o feto tem noção de odores, pois toda criança consegue reconhecer sua mãe pelo cheiro imediatamente após nascer.

  • O seu cheiro não só é reconhecível – é o melhor calmante que existe. Emprestar seu cheirinho a objetos que ficam perto de seu filho é uma boa maneira de acalmá-lo.
  • Não abuse de perfumes. Cheiros muito fortes, que não chegavam até o bebê pelo líquido amniótico – como o aroma de produtos de casa, banho e higiene – podem irritar o olfato de um recém-nascido. É bom dar um descanso para seu perfume também, mesmo que você tenha usado durante a gravidez.

Acalme-o pela audição

Se você anda na ponta dos pés desde que saiu da maternidade, pode parar. Não é o silêncio que vai acalmar seu bebê. Como já dissemos anteriormente, a falta de barulho é algo estranho para ele. O primeiro sentido que um embrião desenvolve é a audição, por volta de nove semanas. Na barriga, o bebê ouvia os sons do corpo da mãe. Além disso, todo barulho de fora acaba fazendo parte da sinfonia que rola dentro do útero.

  • O jeito mais fácil de você reproduzir a “música ambiente” do útero é fazer o clássico “shhh”. E pode fazer bem alto: “O barulho que o bebê escuta dentro do útero é mais forte que o de um aspirador”, de acordo com o dr. Karp. Tente chegar perto do volume do choro do bebê.
  • Converse com seu bebê. Seu bebê ouvia a sua voz antes de nascer. Falar com seu filho vai acalmá-lo. Também leia em voz alta. Recém-nascidos podem reconhecer uma história que você contou muitas vezes durante a gravidez. Neste caso, fale devagar e baixinho.  Coloque sons que você estava habituada a ouvir durante a gravidez, como música, por exemplo.

Acalme-o pela visão

A visão começa a se desenvolver por volta de 26 semanas de gravidez. Com poucos dias de vida, o bebê distingue entre a imagem de sua mãe e a de um estranho. Ajuste a luz. No útero, seu filho conseguia perceber um pouco da luz de fora, sim. Uma luz bem suave pode acalmá-lo.

  • Mostre seu rosto. Seu rosto deixa o bebê aliviado, pois está associado com o cheiro e com a voz que ele conhece desde a barriga. Pode ser difícil olhar nos olhos de uma criança no maior berreiro, mas respire, aproxime-se e fale com voz calma.
  • Mas atenção, permita que ele tenha contato com a luz, especialmente a natural, para que ele possa diferenciar o dia da noite. O seu filho não percebe que madrugada é hora de dormir, pois na barriga, dia e noite eram a mesma coisa para ele. O Dr Karp explica que “Se você quer organizar o ritmo das sonecas do bebê, exponha-o à luz.” Para ele, a solução para corrigir bebê que fica acordadão durante a noite é dar umas voltinhas com ele durante o dia, no carrinho.

Acalme-o pelo paladar

No útero, o bebê podia experimentar os alimentos que você consumia via líquido amniótico. Depois, ao ser amamentado, o bebê pode ter preferências pelo sabor dos alimentos que passam pelo leite da mãe.

  • Vá com calma. Dê mais um tempo para voltar a consumir aquele roquefort proibido pelo médico durante a gravidez. Alimentos muito diferentes causam estranhamento para o seu pequeno.
  • Coma bem. Mantenha a dieta que fazia durante a gravidez. “Tem gente que diz para evitar alho enquanto se amamenta, mas alguns bebês até preferem, pois é com o que estão acostumados”, diz o dr. Karp.

Agora é só colocar essas dicas em prática e aproveitar um bebê calminho, calminho!!

 

Sustentabilidade e Amamentação!

maio 20, 2017

Nas últimas décadas a tecnologia tem invadido a vida da população mundial. E não foi diferente com a maternidade. A sociedade influencia as famílias desde a forma como criar e educar os filhos, até na alimentação, e propagam tudo que for derivado desta tecnologia como sendo a melhor opção, e que oferecer o máximo de tecnologia e desenvolvimento disponíveis para os filhos é o que trará mais benefícios se comparado ao que é saudável e natural.

Existe sim um caminho tecnológico extremamente a favor de uma vida saudável. Mas é preciso saber onde está a linha muito tênue que define o limite do que faz bem e do que passa a fazer mal. Para saber usar da tecnologia de uma forma saudável é preciso PONDERAR. Ponderar o que ouve, o que lê, o que assiste, o que compra, o que usa… E o que faz de tudo isso que está disponível em qualquer lugar, a qualquer preço, para qualquer pessoa.

Onde tudo isso entra na Maternidade?! Há pouco tempo a sociedade acordou para uma prática que estava sendo usada de forma distorcida:  as cesáreas agendadas. Esta prática foi vista (e ainda é, por algumas pessoas) como uma prática “moderna” e “contemporânea”, e em contrapartida, o parto normal passou a ser “ultrapassado” e “inconveniente”.  E isso acontece também com o uso de leite artificial e alimentos industrializados e processados, que dizem em seus rótulos oferecer tudo que o bebê e a criança precisam. Dando a impressão de que a mãe e os alimentos naturais não são capazes de fazer. Errado! Muito errado! Essas práticas atuais derivadas de um “desenvolvimento tecnológico” além de trazer malefícios para a saúde das crianças (e na vida adulta também), como também não são práticas sustentáveis. Você já parou para pensar nos custos de produção desses alimentos e dos utensílios necessários para utilizá-los? Por exemplo, para oferecer o leite artificial: tem todo o processo de produção do leite, da lata, do rótulo, a mamadeira, o bico, as embalagens… e assim vai. E após o uso, também gera um alto custo com resíduos e descarte, degradação do meio ambiente e diminuição dos recursos naturais do planeta. Nós já conseguimos sentir algumas consequências deste “mau uso” dos recursos naturais. E você já pensou também que será NESTE PLANETA que o seu filho vai crescer e viver?!

Na Semana Mundial de Aleitamento Materno em 2016 o tema abordado foi o desenvolvimento sustentável. Já que com base nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, foram criados 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, e, apesar do aleitamento não ser um objetivo específico, é impossível pensar no cumprimento de muitos deles sem o aleitamento materno. (Leia mais em: http://www.ibfan.org.br/site/wp-content/uploads/2016/04/1-A-Semana-Mundial-do-Aleitamento-Materno-2016-traz-um-tema-amplo-e-que-vem-de-encontro-com-a-situacao-atual-do-mundo.pdf)

Sem dúvidas essas tecnologias vieram para suprir necessidades de casos específicos, de crianças em situações especiais. Mas acabaram parecendo ser sempre a melhor opção para todas as crianças. E quem não quer o melhor para o seu filho?! Apenas “parece ser”… Mas não é! Leite artificial é para aquele bebê que não pode ser amamentado no peito, que antes não tinha com o que se alimentar.

Como dizer que algo natural, sem custo algum, produzido a cada minuto, na quantidade e temperatura ideais, com tudo aquilo que o bebê precisa em cada fase do desenvolvimento, e que ainda proporciona vínculo entre mãe e bebê não é o melhor? De forma alguma amamentar é fácil. Sempre é um desafio. Apresenta obstáculos árduos que a mãe e a família precisam vencer. E às vezes não dá certo. E está tudo bem! Mas não podemos mais olhar para latas de leite como a melhor opção, nem como a primeira opção para bebês que têm a oportunidade de serem amamentados no seio materno. Esses artifícios devem ser vistos como solução quando existe um problema ou contraindicação, e não como a melhor e primeira opção.

Além das fórmulas artificiais, é preciso pensar no leite de vaca. Você sabia que o leite humano é espécie-específico? Isso significa que o leite que o humano produz é para humano, para aquele da sua espécie. Então por que oferecer leite da vaca? Deixa este leite para o bezerrinho! *rs…

As recomendações atuais é que a criança seja amamentada exclusivamente no peito até os seis meses, e após a introdução da alimentação, o leite passe a ser um complemento até os 2 anos ou mais. Porque só o leite materno é capaz de ALIMENTAR, NUTRIR, IMUNIZAR e oferecer AMOR em uma coisa só!

É Possível Amamentar com Mamilo Plano ou Invertido?

maio 7, 2017

Na prática, a amamentação não é tão fácil quanto parece. Cada experiência pode ser diferente da outra e alguns obstáculos podem trazer dificuldade, porém, com ajuda, preparo e informações esses obstáculos podem ser superados.

Existem 4 tipos de mamilos: protuso, plano, pseudoinvertido e invertido e uma das dificuldades encontrada durante a amamentação por algumas mulheres é em relação ao tipo de mamilo. Os mamilos planos e invertidos podem fazer com que o início da amamentação seja um pouco mais difícil, mas de maneira alguma impedem que ela aconteça.

Os chamados mamilos planos não chegam a se sobressair muito em relação à área em volta mais escura do seio (conhecida como aréola) e não se projetam facilmente para fora quando estimulados, o que pode tornar a amamentação um pouco mais difícil.

No caso dos mamilos invertidos, eles se contraem ou se projetam para dentro ao serem estimulados e têm a aparência plana, ligeiramente invertida ou bastante invertida no centro.

Para saber que tipo de mamilo você tem é fácil: com ajuda do dedo indicador e polegar, faça uma espécie de “C” e suavemente aperte a região da aréola. Se seu mamilo não ficar saliente, então ele é plano; caso se volte para dentro, ele é invertido. Os mamilos podem ser ainda curtos (saem pouco para fora) ou pseudoinvertidos (apesar de voltados para dentro, geralmente saem quando estimulados).

Os mamilos plano e invertido podem trazer algumas dificuldades no início da amamentação, por isso a melhor maneira de saber se vai dar certo para você é simplesmente tentar e pedir orientação de um profissional preparado (para seu obstetra, o pediatra do bebê ou ainda um especialista em amamentação), já que não existe mamilo certo ou errado, o sucesso da amamentação vai estar na pega correta do bebê.

Alguns acessórios podem ser utilizados para auxiliar em caso de mulheres com esse tipo de mamilos como as conchas plásticas que são utilizadas para auxiliar a formar o bico no caso de mamilos invertidos, porém elas não são um consenso entre os profissionais da saúde.  Existem ainda os bicos de silicone, sendo indicadas na maioria das vezes, como última opção e por tempo determinado, já que isso pode confundir o bebê que pode se acostumar com o bico de plástico e ter dificuldade para pegar o bico da mãe depois. Muitos especialistas preferem que as mulheres tentem massagear os seios para ajudar no processo. A técnica é conhecida como exercícios de Hoffman. Em todos os casos, o ideal é procurar por orientação de um profissional qualificado para te auxiliar durante esse processo.

Se o mamilo for invertido, de fato, vai dar mais trabalho ao bebê. Mas é importante desmistificar essa ideia de que existe um mamilo certo. Afinal, o recém-nascido não conhece nenhum deles e vai aprender de acordo com o que ensinarmos.

Lembre-se, estimulação excessiva das mamas pode fazer com que o útero se contraia, algo que pode vir a ser perigoso em casos de gravidez de alto risco. Sempre consulte seu médico antes de iniciar qualquer tratamento ou realizar qualquer exercício para mamilos planos ou invertidos.

Vale lembrar que o consenso atual é que não seja necessária nenhuma preparação do peito, mesmo em caso de mamilos invertidos, pois depois que o bebê nasce os próprios hormônios agirão de forma que a amamentação funcione.
Sendo assim, o mais importante para bico plano ou invertido é que aréola esteja bastante macia na hora de começar a mamada, para que o bebê faça a pega direito. Se ela não estiver macia, é preciso fazer uma massagem na mama para aí então segurar o peito em forma de C e coloca-lo na boca do bebê, o mais fundo que conseguir.

Tenha paciência e lembre-se que a amamentação é um processo de aprendizagem que não acontece da noite para o dia.

5 Cuidados Para Ter Com o Bebê Durante o Frio

maio 1, 2017

Conforme a temperatura vai caindo, se vestir, sair, tomar banho e outras atividades corriqueiras vão ficando mais complicadas, e para as crianças, o frio traz ainda mais problemas! O corpo das crianças é mais sensível e as defesas ainda não estão bem fortalecidas, por isso o cuidado dos pais é fundamental para a saúde das crianças no inverno, principalmente com os bebês.

O tempo frio exige alguns cuidados especiais, principalmente com bebês menores que um ano. Por isso, trouxemos aqui algumas dicas práticas para cuidar do seu bebê no inverno.

Post 17 (2)

 

  1. Prevenir alergias e infecções respiratórias

Com a chegada do frio, os problemas respiratórios só aumentam. E com os bebês não é diferente. Precisamos ficar atentos a qualquer sinal e sintoma que possam aparecer, mas a prevenção ainda é o melhor remédio. Manter o nariz limpo e desobstruído é fundamental para prevenir esses tipos de problemas respiratórios. O ideal é lavar o nariz do bebê com soro fisiológico 0,9% (0,5 ml em cada narina) sempre que necessário, especialmente antes das mamadas, pois a obstrução do nariz pode atrapalhar a amamentação.

  1. Evite locais fechados e aglomerados e pessoas com sinais de gripe ou resfriado.

O horário menos frio é o mais indicado para dar uma voltinha com o seu bebê. Preferencialmente entre 10 e 17 horas. Evite levar o bebê para locais fechados, pouco arejados e com muita gente, como shoppings, supermercados superlotados e igrejas cheias, ou evite os horários de maior pico.

Se alguém da família estiver com sintomas de gripe, evite o contato com o bebê. Deixe sempre álcool gel na bolsa ou espalhe pela casa para que todo utilizem, e lave bem as mãos sempre que tiver oportunidade. Doenças respiratórias podem ser transmitidas também através do contato.

  1. Cuidados com o banho no frio

O banho do bebê deve ser rápido (não deve demorar mais do que 5 minutos), com a temperatura da água por volta dos 37°C. Verifique sempre a temperatura da água antes de começar a dar banho ao bebê.

Se necessário, aqueça o ambiente antes de retirar a roupa do bebê e feche a porta para evitar correntes de ar. Antes do banho, prepare tudo o que vai precisar (toalha, produtos de higiene, fralda, roupa, etc.) e coloque no local onde vai vestir o bebê.

  1. Como vestir o bebê durante o frio

Vista o bebê com a mesma quantidade de roupa com que estiver vestido, pois tudo depende da temperatura do ambiente, mas deve-se lembrar de que as mãos e os pés estão habitualmente mais frios, logo, para saber se está corretamente agasalhado, coloque a mão no tronco, no pescoço ou na nuca e acrescente ou retire os agasalhos se necessário.

Como os bebês perdem muito calor pelas extremidades, proteja a cabeça, as mãos e os pés. Se o bebê transpirar ou mostrar-se mais irritado pode estar com calor, por isso vá retirando as peças de roupa até o bebê se sentir confortável. Cuidado com exageros!

  1. Cuidados com a hora de dormir

O bebê estar aquecido na hora de dormir é muito importante. O vista em camadas colocando, por exemplo, um body, o pagão e um pijama bem quentinho. É fundamental lembrar que o ideal é não cobrir o bebê exageradamente e nem deixar por perto nenhum cobertor muito pesado, de forma a evitar sufocamentos. Em dias mais frios, prefira colocar mais roupas do que cobertas.

Post 17 (6)

 

Seu bebê vai nascer no frio?! Não sabe como planejar o enxoval para receber seu pequeno nesta época? Saiba mais sobre planejamento personalizado do enxoval com a BabyCoach – Baby Planner!

www.babycoach.com.br

BABY COACH

Cansada de Quartinhos Rosas ou Azuis para o Bebê?

abril 27, 2017

Decoração neutras para quarto de bebê (sem gênero)

Uma das fases mais gostosas da gestação é começar a pensar e planejar a decoração do quartinho do bebê.

Aqui no Enlaçados já fizemos algumas matérias que podem ajudar a você nesta deliciosa jornada de decorar o quarto do seu bebê, falamos sobre: quarto montessoriano, quarto clássico para bebê, quartos infantis modernos e sobre a influência das cores na decoração.

Hoje vamos mostrar inspirações de decorações neutras para quartos  do seu baby, este post é pra você que não quer saber o sexo do seu filho antes dele nascer, mas mesmo assim quer ter o quarto dele pronto, pra você que não gosta cores definidas para meninos e para meninas (azul =menino, rosa= menina), ou  para você que simplesmente  quer inovar na decoração e fazer diferente e bem feito!!

Aproveite as dicas e nos escreva para qualquer dúvida >> studiorealejo@gmail.com

54cc0e4a741c6a82dd7db589d320c5b5

ee81e2f7c2506b5a39eb5095bb7a3db3

d1d31c026dff74f779e51238cb54f4ec

270ed22fdda053c8b43af30e6a8ab9be
089c35c518a44acf752084a2eb851eaf

Studio Face

Baby Planner, assessoria que gera felicidade!

abril 3, 2017

O que é uma Baby Planner?!

bbp2
Hoje existe “personal” para tudo! Sempre existe um profissional para ajudar em diversas tarefas e planejamentos: casamento, construção, decoração, organização, compras, estilo… E por que não ter um profissional que possa ajudar na preparação para chegada de um bebê?! Pois é, este profissional existe! É a BABY PLANNER!
No universo da maternidade muitas mulheres e famílias trocam experiências de vida com objetivo de tornar mais fácil a descoberta dos desafios desta caminhada. Mas hoje existe uma preparação internacional para este profissional, que pode somar seu olhar profissional a esta troca de experiências. A profissão de Baby Planner foi formalizada em 2006 na Europa, chegou à América do Norte, e mais tarde no Brasil, há 8 anos, onde tem ganhado cada vez mas espaço e conquistado cada vez mais as futuras mamães e toda a família.

bbp

A Baby Planner é uma profissional que oferece apoio, informação, educação e recursos para os futuros pais, auxiliando no planejamento durante a gravidez e após a chegada do bebê. É capaz de avaliar e identificar as necessidades específicas da família, através de um atendimento personalizado e planejar um pacote de serviços que satisfaça suas expectativas e desejos. Ela trabalha para mostrar aos seus clientes todas as suas opções para que eles possam tomar a melhor decisão.
O trabalho da Baby Planner não substituiu o trabalho de um profissional de saúde que deve acompanhar a gestação. Pelo contrário, o trabalho da Baby Planner agrega muito aos demais profissionais que acompanharão a gestação. Para ser Baby Planner não é preciso ser um profissional de saúde, mas quando estas profissões se somam, o resultado pode ser incrível para a gestante, sua família e para o bebê que está para chegar!

bbp4

A gravidez não vem com manual de instruções!

Por isso, procure um profissional especializado no mercado, que possa oferecer este conforto e segurança na espera pelo seu bebê! E também auxílio e apoio nos primeiros dias com o seu pequeno nos braços!
Nas capitais do Brasil já existem várias Baby Planners oferecendo diversos serviços. No interior, estes profissionais também já estão conquistando as mamães e mostrando sua importância!

Em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, a BabyCoach® é uma empresa de Baby Planner que vai até seus clientes por meio de um atendimento personalizado, com muito carinho, dedicação e profissionalismo, busca levar à família maior disponibilidade de desfrutar das fortalezas do processo de preparar o leito familiar para receber um novo membro, minimizar as dúvidas e ansiedades e orientar as melhores opções de acordo com as necessidades e orçamento, respeitando os diferentes estilos de vida.

Saiba mais! Visite nossa página: www.babycoach.com.br

Afinal, este momento é único e vocês merecem este apoio!

BABY COACH

Não perca nenhuma dica para o seu bebê! Faça parte da nossa lista VIP!

BRONQUIOLITE! CUIDADO, PAPAIS! Aprenda a reconhecer os primeiros sintomas.

março 24, 2017

Recentemente a jornalista Rafa Brites, esposa de Felipe Andreolli, compartilhou na internet o ocorrido com seu filho Rocco de apenas 1 mês de vida.
Seu bebê precisou ficar internado durante 6 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após ser diagnosticado com bronquiolite, doença causada pelo vírus Sincicial Respiratório (VSR).
Essa doença pode não causar muito impacto em adultos ou crianças maiores que dois anos, porém, para bebês menores de 6 meses, essa pode ser uma doença com complicações respiratórias graves e às vezes até fatais. A bronquiolite é uma inflamação dos bronquíolos (parte final dos brônquios) causada por um vírus e agravada pelo acúmulo de muco, o que dificulta a passagem do ar e pode causar sintomas parecidos com a asma.

Bronchiolitis

Pais de bebês prematuros devem ter um cuidado redobrado, pois são mais suscetíveis à esse vírus!
Os sinais geralmente são leves e muito parecidos com o de um resfriado, porém no caso da bronquiolite esses sintomas se tornam mais intensos com o passar dos dias, causando tosse e dificuldade para respirar. Se seu filho corre mais risco de ter complicações ou se você está em dúvida, o melhor é procurar uma avaliação médica.
Estejam atentos aos seguintes sinais de problemas respiratórios e procure o pediatra imediatamente:

• Narinas mais abertas e grande expansão da caixa torácica a cada respirada
• Pele recuada demais entre as costelas, acima da clavícula ou abaixo da caixa torácica durante a respiração.
• Contração dos músculos abdominais ao respirar (este e os dois sintomas anteriores juntos são chamados de desconforto respiratório. A criança precisa fazer muito esforço para conseguir respirar)
• Chiado com um som de apito ao respirar
• Tosse
• Falta de apetite
• Lábios e unhas azulados
• Febre (alta ou não)

bebe doente

E como é o tratamento para a Bronquiolite?
Nos casos mais leves, quando não há desconforto respiratório (tosse com chiado, falta de ar, etc), você pode cuidar de seu filho em casa, controlando a febre e mantendo o bebê sempre hidratado, com água (quando já introduzida na alimentação) ou leite materno ou não (De acordo com o que você está oferecendo para seu filho).
A internação só se faz necessária quando a criança precisa de cuidados mais específicos no hospital, como hidratação mais rigorosa (receber soro por via venosa), oxigenoterapia (aplicação médica de oxigênio, que pode ocorrer por inalação, por exemplo) e de fisioterapia respiratória (exercícios que ajudam a eliminar secreções), para que o desconforto seja amenizado. As crianças que integram os grupos de risco têm mais chances de serem hospitalizadas, fazendo-se necessário em alguns casos a internação inclusive, em UTI.

bebe

O melhor remédio é a prevenção!!
Não há uma vacina específica para a doença, mas existem formas de preveni-la: evite levar seu filho para locais com aglomerações e contato próximo com pessoas doentes, especialmente nos primeiros meses de vida. Além disso, qualquer pessoa que tiver contato com o bebê deve sempre lavar corretamente as mãos, um cuidado fundamental para evitar não só essa, mas diversas doenças. A lavagem das mãos é a principal forma de prevenção para doenças que são transmitidas por contato, como é o caso dessa.
O principal é que os pais fiquem atentos ao aparecimento dos sintomas e que busquem por uma avaliação médica o quanto antes.

BABY COACH

Não perca nenhuma dica para o seu bebê! Faça parte da nossa lista VIP!

QUANDO NASCE?

março 17, 2017

Aprenda a calcular a data provável do parto!

Os cálculos se iniciam desde quando se planeja uma gestação: Quantos filhos quero ter? Quando quero engravidar? Quanto preciso gastar? E então a gestação acontece, e começam as perguntas que te fazem continuar com os cálculos: De quantas semanas está? Quanto é isso em meses? Quando nasce? OPA! Quando nasce?! Você já pensou nisso?!

Muitos casais planejam a gestação baseados na situação financeira do momento, na idade do casal, no tempo de casados… Outros querem que o bebê nasça em algum mês específico! Mas existem também aqueles bebês que “se planejam”! E vêm como surpresa para os pais! Não importa quando ele será concebido! O importante mesmo é saber quando o bebê vai chegar!

Vocês já pensaram o quanto é importante saber uma data prevista para o nascimento do bebê? Ter uma ideia do período em que será mais provável a chegada do bebê pode facilitar um planejamento e uma programação da família para receber o pequeno! Os pais podem se programar no trabalho, os familiares podem se programar para auxiliar nos primeiros dias, o enxoval pode ser feito baseado na época do ano em que o bebê irá nascer, e muito mais.

post17

Se você tem um ciclo menstrual bastante regulado, o cálculo da data provável do parto (DPP) pela data da última menstruação é mais confiável. Mas se você não tem um ciclo regular, ou não sabe exatamente a data da sua última menstruação, então a melhor forma de calcular a DPP é pela ultrassonografia. Mas lembre-se que quanto mais precoce a ultrassonografia, mais confiável a DPP, então se deve sempre considerar o primeiro exame, que pode ser realizado da 5ª à 10ª semana de gestação.

Outra forma de indicar uma possível idade gestacional para calcular uma provável DPP é medir a altura uterina (o tamanho da barriga) com a gestante deitada. Mas este não é um método muito confiável para determinar a DPP, pois a altura uterina pode variar dependendo da estrutura corpórea da mulher e do tamanho do bebê.

Você pode juntar todos esses métodos para confirmar a sua DPP! Então vamos lá aprender a calcular a DPP pela data da última menstruação.

A duração da gestação é de 280 dias, ou 40 semanas (10 meses lunares). Mas como o corpo humano não aceita uma matemática exata, e uma vez que os ciclos menstruais variam de mulher para mulher, a duração da gravidez completa (a termo) pode variar entre 37 e 42 semanas. Por isso consideramos que estamos calculando um período provável para o parto, podendo variar duas semanas a mais ou a menos da data calculada.

post172

Vamos aos cálculos!!!

Se a sua última menstruação foi nos meses de Janeiro, Fevereiro ou Março:

  • Some 7 ao dia
  • Some 9 ao mês
  • Mantenha o mesmo ano
  • Exemplo:

Última menstruação: 16/02/17           16+7 / 2+9 / 2017           DPP = 23/11/2017

Se a sua última menstruação foi nos meses de Abril a Dezembro:

  • Some 7 ao dia
  • Subtraia 3 do mês
  • Some 1 ao ano
  • Exemplo:
  • 20/08/2016 20+7 / 08-3 / 2016+1         DPP = 27/05/2017

Mas, se a soma do dia ultrapassar 30 ou 31 (28 ou 29 em Fevereiro), dependendo do mês, considere o mês seguinte. Exemplo:

  • Última menstruação: 28/02/17 28+7 / 2+9 / 2017          35/11/2017   35-30     DPP = 05/12/2017

Se a soma do dia ultrapassar 30 ou 31 e for Dezembro, deve considerar o mês e o ano seguinte também. Exemplo:

  • Última menstruação: 27/03/17 27+7 / 3+9 / 2017          34/12/2017    34-31    DPP = 03/01/2018

 

BABY COACH

Não perca nenhuma dica para o seu bebê! Faça parte da nossa lista VIP!

VACINAS: FIQUE POR DENTRO DA MUDANÇA NO CALENDÁRIO VACINAL!!!

março 11, 2017

Novo calendário vacinal 2017

O ministério da saúde divulgou as alterações no calendário nacional de vacinação para 2017. Nós vamos trazer para vocês todas as mudanças para que todos os pais fiquem atentos e não percam a data correta de levar o bebê ou a criança aos locais indicados pelo governo para que as mesmas possam estar atualizadas quando falamos de prevenção de doenças.

Lembrando que para as gestantes, também tiveram mudanças. Fiquem atentas!

Neste ano, foi ampliado o público-alvo de seis vacinas: tríplice viral, tetra viral, dTpa adulto, HPV, Meningocócica C e  hepatite A.

Veja a seguir o que muda no novo calendário:

unnamed

O objetivo da mudança nas vacinas contra hepatite A e Varicela (sarampo) é aumentar a proteção das crianças, garantindo elevadas coberturas vacinais.

Já o objetivo da mudança da vacinação contra o HPV nos homens é prevenir os cânceres de pênis, ânus, garganta e verrugas genitais. E nas mulheres é a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres, já que os homens são responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras.

A Vacina contra meningite C aumentou também o primeiro reforço para até 4 anos de idade, depois o próximo reforço em adolescentes de 12 a 13 anos. Essa mudança aconteceu após estudos  mostrarem que em longo prazo, esse tipo de vacina apresentam uma diminuição da proteção, após a criança ser vacina no período da infância. Por isso, a vacinação de adolescentes proporciona proteção direta desses grupos etários. Também estende a proteção a indivíduos não vacinados.

A dTpa  que protege contra difteria, tétano e coqueluche agora é recomendada 1 dose a cada gestação, a partir da vigésima semana (20ª) de gestação ou caso a mulher não tenha tomado durante a gravidez é indicado a vacinação no puerpério (até 45 dias após o parto). O objetivo dessa ação é aumentar a oportunidade de imunização das gestantes, visando passagem de anticorpos ao bebê para proteção da coqueluche durante a gravidez e evitar que a mãe possa transmitir a coqueluche para o recém nascido durante o puerpério.

O Sus oferece todas as vacinas recomendadas pela OMS. São elas:

São 17 vacinas para proteger contra mais de 20 doenças
1. BCG – (Tuberculose)

2. Hepatite B

3. Penta – DTP/Hib/Hep B

4. VIP – vacina inativada Poliomielite

5. VOP – vacina oral contra a Pólio

6. VORH – vacinal oral de Rotavírus Humano

7. Vacina Pneumocócica 10 valente – doenças causadas por pneumococos (penumonia, menigite)

8. Vacina febre amarela

9. Tríplice viral – sarampo, rubéola e caxumba

10. DTP (tríplice bacteriana) – difteria, tétano e coqueluche

11. Vacina meningocócica conjugada tipo C – meningite

12. Influenza

13. Tetraviral – Sarampo, rubéola, caxumba, varicela

14. Hepatite A

15. HPV

16. dTpa (gestantes) – difteria, tétano e coqueluche

17. dT (Dupla tipo adulto) – tétano e difteria

 

Vamos ficar atentos para não perder nenhuma vacina!

BABY COACH

Não perca nenhuma dica para o seu bebê! Faça parte da nossa lista VIP!

O QUE TODA MÃE E PAI DEVEM SABER SOBRE NEWBORN!

fevereiro 18, 2017

Hoje vamos falar de um assunto cheio de fofura!

O famoso ensaio newborn!

As mamães e os papais, mesmo durante a gravidez, já sonham com as fotos que farão do seu bebê. Eles desejam eternizar aqueles momentos repletos de ternura, sensibilidade e delicadeza, seja para guardar como lembrança de um período que passa voando ou para dividir com familiares e amigos.

As fotos de bebês sempre foram e sempre serão um sucesso, ainda mais agora que ganharam um estilo próprio, cheio de detalhes, acessórios e cenários encantadores.

newborn 10

O ensaio newborn surgiu nos EUA e é uma técnica de fotografia realizada quando o bebê tem ainda poucos dias de vida, no máximo 15. Nesse período, eles ainda estão menos ativos, mais sonolentos e fáceis de serem manuseados pelos fotógrafos. Em resumo, nessa fase, os bebês permitem que sejam feitas uma variedade de poses impossíveis de serem conseguidas com um bebê mais maduro.

Esse tipo de saio permite a captura de detalhes e feições que logo desaparecerão. Os bebês se desenvolvem num ritmo acelerado. De um dia para o outro uma dobrinha desaparece, os fios de cabelo caem e aquela carinha de recém nascido logo vai sumindo…

Chega a ser assustador perceber como eles mudam depressa e você não vai querer deixar de registrar nenhuma dessas fofuras, não é mesmo?

Nós separamos algumas imagens de ensaios newborn, facilmente encontradas em sites de fotografia

newborn 1

newborn 8

Para quem se encantou e deseja realizar um ensaio newborn com seu bebê, aqui vão algumas dicas:

  • Procurem um profissional experiente, de preferência um que seja especializado na técnica newborn. Isso faz toda a diferença;
  • Se possível, escolham o profissional antes do bebê nascer;
  • Realizem uma pesquisa de preço, os preços podem variar muito, porém a qualidade do trabalho também deve ser levada
    em consideração;
  • Peçam para conhecer o estúdio fotográfico antes de contratar. Observem as condições de higiene e temperatura (em média entre 27 e 28º). Alguns deles disponibilizam som ambiente com músicas calmas e som que imita o barulho do útero. Tudo, para garantir a tranquilidade e conforto do bebê na hora das fotos;
  • Conheçam a variedade de cenários oferecida pelo fotografo. Perguntem se é possível sugerir outros cenários e acessórios para o ensaio do seu bebê;
  • Exijam que o contrato estabeleça o prazo máximo para a entrega do álbum.
  • Façam algumas fotos com a participação dos pais e irmãos. Elas deixam o álbum ainda mais afetuoso e cheio de amor. As roupas dos demais participantes deverão ser de cor neutra, sem estampas;
  • Não esperem muito. Tente realizar o ensaio o mais cedo possível, mas lembre-se que o bebê está se adaptando a um mundo novo e cheio de novidades. Então não queira já fazer o ensaio logo no segundo ou terceiro dia.
  • Tente se manter o mais calmo possível. Ensaio fotográfico com recém nascido exige o dobro de paciência, tanto dos pais quanto do fotógrafo. Portanto, estejam preparados para uma sessão que poderá durar de 2 a 3 horas;
  • Não exijam poses específicas para não criar expectativas que possam ser motivo de frustração. Lembrem-se de que tudo dependerá da boa vontade do bebê;
  • Deem liberdade para que o profissional realize todo o trabalho de manipulação do bebê, como trocas de roupas e modificação de poses. Envolvam-se apenas quando forem solicitados, como no caso da pausa para a mamada.

newborn 9

E então, gostaram desse banho de gostosura?

Temos certeza que sim, afinal quem não gosta de ver esses piticos ainda mais fofos?!

Até a próxima!

BABY COACH

Não perca nenhuma dica para o seu bebê! Faça parte da nossa lista VIP!